Conceito de abundância


Mai 24, 16

A palavra abundância provém do latim abundantia e refere-se a uma grande quantidade de algo. O termo pode ser usado como sinónimo de prosperidade, riqueza ou bem-estar. Exemplos: “Encontrei abundância em todo o lado enquanto percorria as ruas do Mónaco”.

Neste sentido, a frase “nadar na abundância (ou “nada em dinheiro)” significa gozar de um grande bem-estar económico e de uma importante quantidade de riquezas materiais. Provavelmente seja esta a acepção mais comum do termo no dia-a-dia e, geralmente, é utilizada com uma conotação desesperançado, enquanto serve para indicar a sua própria ausência. Tomando a expressão anteriormente mencionada, é habitualmente usado na primeira pessoa e na negativa, para enfatizar uma lamentação pela própria situação económica.

A abundância material é um conceito que costuma gerar duas correntes de opinião opostas: por um lado, há quem respeitam a riqueza de outros, sempre que está uma origem lícita; pelo outro, existem pessoas que não apoiam as classes altas e que lhes adjudicam todo o tipo de qualificativos desrespeitosos. Dentro deste último grupo, é importante assinalar que, muitas das vezes, quem sente repulsa pelas pessoas endinheiradas esconde inveja, desejos profundos de ser eles mesmos quem se possam dar a todos os gostos.

Num mundo onde todos nos respeitássemos, tanto a nós mesmos como ao nosso meio, provavelmente a abundância de alguns se converteria numa fonte de riqueza ou alimentos para quem precisasse. No entanto, a nossa ansiedade de escalar hierarquias sociais e económicas, vamos tapando as nossas carências com possessões e esquecemo-nos, geração para geração, de tudo o que o Planeta nos dá desinteressadamente, como é o caso do oxigénio, a água, o alimento e belíssimas e variadas paisagens para explorar e desfrutar como nos agradar.

Ao contrário da nossa espécie, os animais sabem aproveitar os seus recursos e se não fora pelos nossos actos destrutivos, colaborariam com o equilibro da natureza como o fizeram sempre, e o mundo seria um lugar livre de contaminação e matança indiscriminada.

Por outro lado, o corno da abundância ou cornucópia é um vaso com a forma de um corno que representa a abundância. Trata-se de um símbolo de prosperidade cujas origens remontam ao século V a.C. Para entender o seu significado é necessário posar centrar a atenção sobre a mitologia grega: Amalte criou Zeus com o leite de uma cabra e este, como forma de agradecimento, oferece-lhe dois cornos de uma cabra que tinha o poder de cumprir os desejos da pessoa que o possuía.

A abundância natural, no entanto, é a quantidade de cada isótopo de um elemento químico que existe na natureza, expressada em percentagem. As abundâncias naturais de cada isótopo são utilizadas para calcular a massa atómica dos elementos.
Na retórica, a abundância é a riqueza de pensamentos ou procedimentos expressivos. Um dos movimentos literários que se caracteriza pela abundância retórica é o conceptismo barroco.