Conceito de prudência




Mai 28, 12 Conceito de prudência

Do latim prudentĭa, a prudência é a temperança, a moderação, a sensatez ou a cautela. Trata-se da virtude de agir de forma justa e ponderada. Por exemplo: “Com prudência, os médicos alertaram o ferido das trágicas consequências do choque”, “A cantora não agiu com prudência, acabando por despertar a fúria dos directores da discográfica”, “Milhares de pessoas morrem todos os anos por não conduzirem com prudência”.

A noção de prudência relaciona-se com diversos valores. Comunicar numa linguagem clara e adequada faz parte da prudência, principalmente quando se trata de informar assuntos delicados ou más noticias. Por outro lado, a prudência implica o respeito pelos sentimentos e pela vida do próximo.

Uma pessoa que tenha o hábito de adoptar comportamentos imprudentes sujeita-se não só a colocar a sua própria vida em perigo como a dos outros. É o caso daqueles que conduzem a altas velocidades, que têm animais perigosos em casa ou que festejam disparando para o ar, entre muitas outras acções e condutas que vão contra a prudência.

Ser prudente é ser precavido. Um homem que ganha um prémio monetário e que gasta todo o dinheiro em festas não está a agir com prudência: se, no futuro, lhe surgir algum imprevisto, não terá forma de o resolver. Contudo, poderia se tivesse sido mais cuidadoso ao poupar o dinheiro em questão em vez de o desperdiçar em futilidades.

Os Egípcios representavam a prudência através de uma serpente de três cabeças (de leão, de lobo e de cão). No entendimento deles, o sujeito prudente deve ter a astúcia da serpente, a força do leão, a agilidade do lobo e a paciência do cão.