Conceito.de

Conceito de adulação

Adulação, do latim adulatĭo, é a acção e o efeito de adular (lisonjear, fazer ou dizer aquilo se acha que irá agradar ao outro). A adulação, regra geral, é interesseira, com o intuito de obter algum tipo de benefício ou de reconhecimento. Exemplos: “O Mariano continua firme com a adulação para que o chefe o promova a supervisor”, “Os prémios são repartidos por mérito: não me interessa a adulação”, “A adulação deu os seus frutos e a mulher acabou por contratar o jovem”.

A adulação, igualmente conhecida como lisonja, é um louvor que não está associado ao respeito nem ao mérito real. Se uma pessoa se cruzar na rua com um jogador de futebol e lhe disser que o admira pelo seu talento, não se trata de adulação, mas de uma frase sincera e afectuosa. No entanto, se um sujeito disser a um amigo que o considera uma grande pessoa que se caracteriza pela sua solidariedade porque está a contar que este amigo o convide a jantar em sua casa, estamos perante um caso de adulação, uma vez que o suposto elogio é uma artimanha para sensibilizar o próximo.

Por hábito, os exemplos mais flagrantes de adulação têm lugar nas altas esferas do poder. Os monarcas, os presidentes e os dirigentes costumam ter aduladores que passam a vida e enumerar as suas virtudes, com o objectivo de ganhar o favor daqueles que mandam. O adulador acredita que, ao contar com a simpatia dos poderosos, estes tê-lo-ão em conta para repartir presentes, prémios ou regalias ou, pelo menos, para evitar eventuais castigos.