Conceito.de

Conceito de medicamento

Escutar o artigo

Medicamento se trata de um produto farmacêutico elaborado para curar enfermidades, para ser usado em diagnósticos ou para fins paliativos.

medicamento
Somente um especialista em medicina pode prescrever medicamentos

Os medicamentos são feitos em laboratório com base em uma série de regras e fórmulas, usando diferentes substâncias, a depender da finalidade. Nisso, há aqueles feitos para dores, outros para tratar infecções, também há queles elaborados com a finalidade de tratar inflamações, etc.

Apenas um especialista médico pode prescrever medicamentos para os pacientes, sendo que outros especialistas em medicina também o podem fazer, como é o caso do cardiologista, pneumologista, ginecologista, entre outros.

Existem medicamentos onde a pessoa usa apenas uma vez (dose única) para tratar um problema, mas outros exigem o uso por mais de um dia, podendo chegar a durar meses ou, ainda, a vida toda (no caso de medicamentos para insuficiência cardíaca).

Os medicamentos podem gerar resultados biológicos e/ou farmacológicos, os quais poderão ser percebidos durante o seu uso, seja em seres humanos ou mesmo em animais, o que caracteriza a eficácia dos mesmos.

Medicamentos: o início de tudo

Foi a partir do século X que teve origem as atividades farmacêuticas, sendo que naquela época ainda não era algo similar ao que se tem hoje. O início dessas atividades que remetem a farmácia se deu com as chamadas boticas.

A princípio, caracterizava-se como botica uma caixa feita de madeira onde se transportavam os primeiros medicamentos. E em Portugal as primeiras farmácias ficaram conhecidas por esse nome. Já na era do Brasil colonial, quem fazia o transporte dessa caixa erma os chamados mascates, esses andavam pelos povoados e pelas fazendo levando os medicamentos que tratavam as enfermidades mais comuns.

Na época em que as boticas foram criadas, a medicina e a farmácia se tratavam de apenas uma profissão.

Tempos depois, quando aconteceu um surto de lepra, o rei Luís XIV, fez com que houvesse mais farmácias na França. Essa foi uma das iniciativas tomadas em prol da área da saúde.

Quando chega o século XVIII, em algum momento ali a farmacêutica e a medicina são separadas, assim, os médicos ficaram proibidos de serem donos de uma botica. Assim, os que faziam diagnostico foram separados dos que elaboravam medicamentos.

Foram os conhecidos amplos em fisiologia e toxicologia que se obteve que deram início para a moderna farmacologia. E no ano de 1813 que foi criado o primeiro tratado de toxicologia. Ainda no século XIX, mais especificamente na primeira metade desse, os primeiros laboratórios farmacêuticos foram criados. E isso ajudou a mudar ainda mais a profissão.

Houve uma revolução dos medicamentos a partir da Segunda Guerra Mundial, sobre o que ainda teve influência os avanços na tecnologia e também a industrialização, com isso tanto as pesquisas sobre novos medicamentos quanto os processos de produção desses passaram por essa revolução.

Tipos de medicamentos

conceito de medicamento
O medicamento é fabricado em industrias farmacêuticas

Os medicamentos ainda podem ser classificados em:

Profiláticos: esse são os medicamentos usa dados com o intuito de proporcionar a prevenção de doenças. Aqui estão soros, vacinas (por isso há campanhas de vacinação em vários países), antissépticos, complementos vitamínicos, entre outros;

Curativos: o objetivo desses é curar uma doença ou tratar a sua causa, fazendo a correção de uma função do corpo. Aqui estão medicamentos como antibióticos, antiparasitários e antivirais;

Paliativos: esse são medicamentos apenas com a finalidade de tratar os sintomas de alguma condição, tais como febre, dor, vômitos, enjoos, entre outros. Desse modo, os medicamentos paliativos são aqueles que não tratam doenças. Alguns exemplos de paliativos são os ansiolíticos e os anti-inflamatórios;

– E existem ainda aqueles medicamentos usados para o diagnóstico de doenças, a exemplo dos usados para o diagnostico na oftalmologia ou o contrate, que é um tipo de medicamento usado na radiologia.

Medicamento e remédio

É comum que as pessoas confundam medicamento com remédio, mas ainda que esses tenham relação, se tratam de termos com conceitos distintos.

O medicamento é aquele produto elaborado de forma técnica por uma indústria farmacêutica, tendo o mesmo cumprido as exigências estabelecidas pela lei e que foram determinadas por órgãos competentes (no Brasil, esse órgão é a Anvisa). Esses possuem efeitos comprovados por testes.

Por sua vez, remédio é um termo usado para descrever todos os tipos de métodos e cuidados com fins terapêuticos, os quais possuem o foco em aliviar os mais diversos desconfortos.

Nisso, estão compreendidos todos os tipos de tratamentos, sejam aqueles elaborados em laboratório e que passaram por testes, como também as plantas medicinais, as quais são usadas por muitos para tratar diversos tipos de problemas, contudo essas não foram submetidas as mesmas etapas que o medicamento. Exemplos de remédios seriam:

– Quando uma pessoa usa banhos quentes para o alívio de tensões;

– Ou quando se faz uso de chás de ervas para tratar algum problema como cólicas.

Mas há que se dizer que um remédio não é um medicamento, contudo um medicamento é um remédio.

Citação

SOUSA, Priscila. (5 de Outubro de 2022). Conceito de medicamento. Conceito.de. https://conceito.de/medicamento