Conceito.de

Conceito de tilacoide

Escutar o artigo

Tilacoide não é um termo muito comum nos dicionários. O conceito é usado para designar as bolsas que, nas plantas, se encontram no interior dos cloroplastos.

Cabe destacar que os cloroplastos se encontram nos organismos que realizam a fotossíntese. Trata-se de orgánulos envoltos por membranas que alojam os tilacoides. Nestas bolas encontram-se as moléculas que permitem obter energia química a partir da energia lumínica.

Os tilacóides encontram-se no estroma, que é o nome que recebe a cavidade e o meio de cloroplasto que alberga estas vesículas. Por outro lado, em redor dos tilacoides há uma membrana que marca o espaço do lúmen.

A membrana dos tilacoides trata-se de uma bicamada lipídica (um solvente que atua nas proteínas integrantes de membrana) se assemelhando a membrana celular de organismos que são fotossintetizantes procarióticos, tais como são algumas algas e também algumas bactérias.

Mas para que tal estrutura seja sintetiza é necessário que haja muitas reações complexas, onde há o transporte de diversos chamados precursores lipídicos por meio de vesículas endoplasmáticas.

Esta estrutura compõe-se também por uma série de proteínas, sendo elas tanto transmembrânicas como também integrais (comunicando-se com os dois lados da membrana, como ocorre nos fotossistemas I e II, ATP sintase e os citocromos) e também periféricas (onde apenas uma parte da membrana possui sua atividade, qual pode ser interna, como é o caso da plastocianina, ou externa, como é o caso da ferredoxina).

A função dos tilacoides é a absorção dos fotões que se encontram nos raios do sol. Deste modo, nas bolsas (que se apilham em formações conhecidas como granas e que organizam-se em forma de discos) decorre a fase fotoquímica.

A clorofila, as xantófilas e os carotenoides são alguns dos pigmentos com capacidade fotossintética que se encontram no interior dos tilacoides. A estrutura também alberga enzimas, lípidos e proteínas que são necessárias para o desenvolvimento do processo.

Cabe destacar que os cloroplastos com os tilacoides fazem parte do parénquima em empalizada, um tipo de tecido que se encontra nas folhas. As suas células, que se encontram debaixo da camada superior da epiderme, são alargadas e permitem levar a cabo a fotossíntese, que é indispensável para que as plantas obtenham a energia de que precisam para a sua sobrevivência.

Há também as cianobactérias que são organismos procarióticos que possuem também tilacoides, mesmo elas não dispondo de cloroplastos.

E aqui nas cianobactérias as membranas do tilacoide encontram-se logo abaixo da membrana e parede celulares, atuando como local para captação de luz, onde há a respiração e a fotossíntese. O tilacoide dessas cianobactérias não diferem em granum e, do mesmo modo que acontece com as plantas, as membranas do tilacoide têm plasticidade estrutural e elas são influenciadas pelas condições ambientais.

As clorofilas e também os pigmentos acessórios de captação de luz que ficam nas membranas dos tilacóides associam-se sempre em ligações não-covalentes, só que isso acontece de maneira muito específica com as proteínas.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (10 de Outubro de 2016). Conceito de tilacoide. Conceito.de. https://conceito.de/tilacoide