Conceito.de

Conceito de bolsa amniótica

Uma bolsa é uma embalagem, um receptáculo ou um recipiente que permite conter algo no seu interior. Amniótico, por sua vez, é aquilo que está relacionado com o âmnios (a bolsa que reveste um embrião).

Dá-se o nome de bolsa amniótica, por conseguinte, ao revestimento de membranas que se desenvolve na oitava ou nona semana da fecundação para cobrir o embrião. A bolsa amniótica é composta pelo âmnios (a membrana interna que contém o feto e tem líquido amniótico) e pelo córion (a membrana exterior que faz parte da placenta e alberga o âmnios).

No interior da mesma, o feto fica abrigado, pode mobilizar-se e encontra-se a uma temperatura estável. O líquido amniótico aumenta de volume no interior do âmnios à medida que o feto se vai desenvolvendo. Este líquido encontra-se em circulação uma vez que o feto o inala e traga mas, por sua vez, também o expulsa.

Cabe destacar que, entre o âmnios e o córion, o saco amniótico apresenta uma camada com uma elevada quantidade de fibroblastos e colagénio que possibilita a expansão do saco. É importante ter em conta que o saco amniótico é muito maior no nono mês de gestação, quando o bebé pode pesar cerca de três quilos, do que nas primeiras semanas.

O nível do líquido no seio do saco amniótico deve manter-se dentro de certos parâmetros. Quando o saco amniótico apresenta poço líquido, ocorre aquilo que se conhece pelo nome de oligohidramnios. Em contrapartida, se o líquido que há no interior do saco amniótico for excessivo, fala-se de polihidramnios.