Conceito de bom


Jun 05, 13

Do latim bonus, o adjectivo bom permite fazer referência àquilo que tem bondade e, por conseguinte, que é útil, agradável, positivo, aliciante, gostoso, divertido, que tem qualidade, aprovação ou que é apetecível. Exemplos: “A banda de punk rock apresentou um muito bom disco”, “Estas calças são de boa qualidade. Têm mais de três anos, uso-as com frequência e, mesmo assim, continuam impecáveis”.

No caso de uma pessoa, diz-se que alguém é bom quando mostra uma tendência natural a praticar o bem: “O Miguel é um bom moço. Emprestou-me dinheiro para eu comprar os meus medicamentos mesmo não tendo a certeza se lho poderei devolver”, “A Marta considera que não sou bom por ontem ter gritado com ela, mas não sabe que eu estava nervoso por causa da saúde debilitada do meu tio”.

Bom também é aquilo que supera o comum ou que é fora do vulgar: “O teu filho pregou-me um bom susto com aquela máscara”, “Bom foi aquele golo da nossa equipa, que nos valeu a vitória!”.

Na acepção da filosofia, o conceito de bom é tautológico e redundante: o bom é o que está bem. Noções como o bem e a bondade podem definir-se por oposição a outras como o mal e a maldade. Assim sendo, pode-se dizer que bom é aquilo que não é mau, ou que bem é aquilo que não está mal e vice-versa: “A Isabel é boa, pois dividiu os seus caramelos comigo”, “A Isabel é má porque não me deu caramelos”.