Conceito.de

Conceito de cognoscente

Cognoscente é aquele que conhece ou que tem a capacidade de conhecer. O sujeito cognoscente, por conseguinte, é quem realiza o acto do conhecimento. Este conceito é abordado por diversos ramos da filosofia.

O termo cognoscente provém do latim “cognoscere”, o qual significa “aprender sobre” ou mesmo “saber sobre”, por sua vez, esse termo é formado pela termo “gnoscere” que significa “saber” ou “conhecer”.

É por isso que uma pessoa cognoscente é alguém que consegue formular ideias com facilidade com base no conhecimento obtido e assimilado.

A pertença do indivíduo à realidade que conhece e as características desta são motivo de debate para a epistemologia. Costuma discutir-se se realidade à qual acede o sujeito é a verdadeira realidade, uma parte dela ou uma realidade construída pela pessoa.

Um sujeito cognoscente é conhecedor, ele possui a capacidade de assimilar o saber, ele é uma pessoa que consegue adquirir e processar o conhecimento. Um ser cognoscente aprende, articula, pensa, faz modificações, enfim, ele, mesmo com suas limitações, obtém isso no contexto qual está inserido.

Algumas correntes filosóficas sustentam que o ser cognoscente não tem acesso à realidade, mas apenas a um fenómeno ou a uma manifestação dela. O positivismo, por exemplo, afirma que o sujeito cognoscente está fora da realidade, sendo o conhecimento uma extração de conteúdo desta. O construtivismo, por sua vez, crê que o indivíduo cognoscente gera a sua própria realidade, pelo que esta não é externa.

O termo cognoscente aparece também na psicopedagogia, ali ele é descrito como uma pessoa que deve ser submetida a um acompanhamento psicopedagógico a fim de que essa pessoa tenha capacidade de desenvolver autonomia para obter conhecimentos e confiar agora em sua própria capacidade de pensamento.

Em geral, pode-se dizer que o sujeito cognoscente interage de maneira permanente com a realidade para gerar algum tipo de conhecimento que lhe permita adaptar-se ao ambiente. O aparelho psíquico da pessoa é composto por diversos sistemas cognitivos organizados como estruturas lógicas.

A pessoa, por conseguinte, baseia as suas ações nos seus próprios pensamentos. Os pensamentos surgem do facto cognitivo, que é o resultado da interação do homem com a realidade.

Ao constituir-se como um sujeito cognoscente (que tem conhecimentos, que é conhecedor), o ser humano é livre porque pode decidir o que fazer de acordo com o seu pensamento. Isto não significa, obviamente, que o conhecimento esteja isento das interações sociais.

Muitas das vezes, o termo cognoscente é usado como sinônimo de perito ou especialista, por exemplo: “ele é cognoscente, possuindo uma fonte confiável de habilidades para a realização do projeto” ficaria também “ele um perito, possuindo uma fonte confiável de habilidades para a realização do projeto”.

Quando criança, uma pessoa pode aprender coisas novas com mais facilidade, uma vez que o seu sistema cognitivo está em constante desenvolvimento. Aqui cabe aos pais e professores contribuir para o desenvolvimento da cognição nas crianças e adolescentes através de instruções a eles passadas.

Percepção, atenção, memorização, imaginação, raciocínio e associação são alguns dos processos fundamentais para que aconteça a cognição.