Conceito.de
Conceito de

Relativismo

Relativismo  possui um conceito usado na filosofia para designar certa maneira de entender a realidade e o conhecimento. De acordo com o relativismo, o real não tem uma base permanente, pois baseia-se nos vínculos que existem entre os fenómenos. Relativamente ao conhecimento, o relativismo defende que não alcança o absoluto: o seu objeto são as relações.

relativismo
O relativismo defende que o real não tem uma base permanente

Noutros termos, o relativismo defende que o conhecimento carece de uma validez absoluta ou universal; pelo contrário, só é válido consoante o contexto. A construção da realidade, de este modo, depende da subjetividade que, por sua vez, surge das circunstâncias.

Pode-se entender o relativismo por oposição ao objetivismo. Para este, a verdade tem independência dos sujeitos que se encarregam de pensar nela. Isto significa que, de acordo com o objetivismo, há factos/situações que têm uma existência objetiva.

Para o relativismo, porém, a verdade está sempre relacionada com o sujeito que a concebe. Não existem verdades ou conhecimentos objetivos nem que sejam universais. A partir desta ideia, o relativismo aparece em diferentes âmbitos da ciência e do pensamento.

Relativismo , então, é uma corrente de pensamento filosófico que defende que não há uma verdade ou valor moral absoluto. E nisso, ele questiona as verdades universais dos homens, fazendo com que o conhecimento seja algo subjetivo.

O relativismo é ligado especialmente ao conhecimento das Ciências Humanas, como a antropologia e a filosofia.

Se você tem apenas alguns segundos, leia estes pontos chave:
  • O relativismo cultural é o estudo de uma cultura a partir dos seus próprios critérios, evitando passar julgamentos morais baseados em outras culturas. Ele se opõe ao etnocentrismo, que interpreta outras culturas baseado nos valores da própria cultura.
  • Existem diferentes tipos de relativismo, incluindo o moral, linguístico e cognitivo. Eles são baseados em critérios similares de oposição ao absoluto e objetivo.
  • O relativismo existe desde os primórdios da filosofia ocidental. Os sofistas foram pensadores gregos que defendiam que a verdade era subjetiva e dependia do contexto e das experiências de cada pessoa.
  • O relativismo pode influenciar até mesmo a abordagem da ciência, com alguns cientistas se tornando relativistas e direcionando suas pesquisas para obter as conclusões desejadas, em vez de buscar uma verdade objetiva.

Relativismo cultural e moral

Conhece-se pelo nome de relativismo cultural o estudo de uma cultura a partir dos critérios particulares da mesma. Deste modo, evita-se condenar moralmente aquela cultura que é estranha relativamente à própria.

O relativismo cultural é o contrário do etnocentrismo. O pensamento etnocêntrico se trata daquele que leva em conta apenas os valores e a cultura do seu próprio grupo, e com base neles interpreta os outros.

Por sua vez, o relativismo cultural acredita que a cultura precisa ser colocada em perspectiva, em outros termos, ela deve ser repensada, a fim de que seja possível entender o ponto de vista do próximo.

O relativismo moral, o relativismo linguístico e o relativismo cognitivo são outros tipos de relativismo baseados em critérios similares no que toca à oposição ao absoluto e ao objetivo.

No relativismo moral, o foco não é a busca da verdade para o aprendizado, não se procura o fundamento das coisas, característico do homem e dos animais, uma vez que nada é verdade, então cada pessoa acredita no que quiser.

O relativismo faz com que se perca o diálogo, precisamente devido a que os valores comuns se perdem.

Relativismo sofista

No contexto da filosofia, a existência do relativismo é desde o começo da filosofia ocidental. Um exemplo aqui são os sofistas, que se tratavam de pensadores gregos do século V a.C., esses se opuseram às ideias de Sócrates e Platão sobre verdades fixas e absolutas.

Os sofistas apresentaram uma teoria do conhecimento onde o caráter de verdade era concernente à forma em que era exibido no discurso. O nomeado de Relativismo Sofista é uma linha de pensamento pertencente a filosofia grega que afirma que há subjetividade na verdade. Aquilo no que o ser humano acredita, seja moral ou referente ao conhecimento, é coincidente ao que ele enxerga e experimenta no seu contexto.

Relativismo religioso

O relativismo religioso é algo que vai além do relativismo moral. Ele tanto questiona a criação de conceitos de bem e mal, que possuem forte relação com a religião, como põe em xeque a palavra de Deus como verdade exclusiva. Também trata das interpretações que os homens fazem dos livros sagrados.

Relativismo e a posição científica

conceito de relativismo
O relativismo possui mais ligação com as ciências humanas

Esta posição é diferente do comum espírito de investigador científico, qual procura pela verdade.

Diversos cientistas se converteram em relativistas, desviando as suas pesquisas em prol de obter a conclusão na qual queriam chegar. Para os aderem a tal posição, o que é apropriado para si é prioritário ao que é verdadeiro.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (30 de Novembro de 2015). Atualizado em 2 de Fevereiro de 2024. Relativismo - O que é, conceito e definição. Conceito.de. https://conceito.de/relativismo