Conceito.de

Conceito de encíclica

A palavra grega “egkýklios” tornou-se encíclica em nossa língua. O termo é usado para se referir a uma comunicação solene feita pelo papa aos bispos e católicos em geral.

Em suas origens, as encíclicas eram cartas que um bispo enviava às várias igrejas de uma região. Atualmente, no âmbito da Igreja Católica, o conceito costuma estar associado a um escrito divulgado pelo Papa para apresentar uma visão ou um pensamento sobre algum assunto importante.

Não há, de qualquer forma, uma definição exata de encíclicas papais, uma vez que as cartas e comunicados do papa podem ser classificados de forma diferente. Em geral, uma encíclica trata de um assunto prioritário em um determinado momento.

O Papa Francisco, por exemplo, apresentou sua primeira encíclica em julho de 2013: “Lumun fidei”, traduzida como “A luz da fé”. Nele ele reflete sobre a fé, estruturando o conteúdo em uma introdução, quatro capítulos e uma conclusão.

A segunda encíclica de Francisco foi “Laudato si” (ou “Louvado seja”), apresentada em maio de 2015. Nesta carta de seis capítulos, o Papa pede a proteção do meio ambiente e da vida, criticando o consumismo.

Entre os papas que mais escreveram encíclicas estão Pio XII (autor de 41 encíclicas), Pio XI (30 encíclicas), João Paulo II (14 encíclicas) e Bento XV (13 encíclicas). É importante destacar que as encíclicas são publicadas pela Livraria Editora Vaticana, embora atualmente também possam ser lidas na Internet.