Conceito.de

Conceito de fordismo

Escutar o artigo

Fordismo é o nome de um sistema de produção para a indústria automobilística criado por Henry Ford. Assim, ele recebe esse nome como forma de homenagear seu criador.

fordismo
Henry Ford, o criador do fordismo

Esse, que era um sistema de produção em massa, foi criado nos Estados Unidos e o mesmo consistia em ações que visavam aumentar a produtividade e reduzir os custos pertinentes.

Mas tempos depois esse sistema ou modelo de produção seria adaptado e implementado em outras atividades da indústria também.

Porém, mesmo o fordismo tendo automatizado processos e mudando a estrutura produtiva da indústria (não apenas nos Estados Unidos, como também no mundo), as crises de superprodução que aconteceram o fizeram entrar em declínio.

Nas indústrias, se tem como exemplo de implementação do modelo de produção fordismo o processo de instalar linhas de montagem contando com esteiras rolantes mecânicas. E a primeira linha de produção de veículos atuando de forma semi automatizada surgiu em 1914.

Características do fordismo

O fordismo, também chamado de sistema fordista, diferente do modelo produtivo toyotista ou taylorista, por exemplo, já que ele valoriza a especialização do trabalhador e também faz a verificação da qualidade ao final do processo de produção.

Seu criador, Henry Ford (fundador da Ford Motor Company), foi um industrial que via que a indústria necessitava aumentar a sua produtividade. E com isso se criava algo que proporcionava uma linha de montagem automatizada e oferecia um trabalho especializado.

E além de ser um sistema que aumentou a produção na indústria automobilística, o fordismo também causou melhorias significativas na sociedade. Tanto é que no século XX ele ajudou a proporcionar melhorias nas atividades industriais.

Uma das vantagens do fordismo também é que o mesmo fez com que muitos produtos se tornassem acessíveis ao público em massa, tendo em vista que ele conseguiu tornar o custo de produção em algo mais barato, além de ter barateado os produtos produzidos.

Mas a redução dos preços obtida pelo fordismo veio acompanhando também uma redução na qualidade do que era fabricado.

Contudo, o modelo de produção de Henry Ford espalhou-se pelo mundo e teve sua consolidação no período pós-guerra. Isso foi algo que garantiu anos dourados e prósperos para os países desenvolvidos.

Além disso, o fordismo fez com que houvesse um crescimento elevado na economia. Ele ainda possibilitou, nos países desenvolvidos, a existência das sociedades de bem-estar-social. E tempos mais tarde esse padrão de produção chegaria até outras linhas de produção, em especial para os setores têxtil e siderúrgico.

Henry Ford e o fordismo

Henry Ford, nascido em 1863 e falecido em 1947, criou o fordismo ou sistema Ford de produção automobilística na sua fábrica, chamada de “Ford Motor Company”. E a partir daí ele determina sua doutrina, a qual conta com três princípios básicos:

Produtividade: para obter o melhor de cada um dos funcionários;

Intensificação: tornar o tempo de produção em algo mais dinâmico;

Economia: fazer a produção numa indústria estar equilibrada com os seus estoques.

Fordismo e toyotismo

conceito de fordismo
O fordismo trouxe inovação para a indústria automobilística

A lógica no processo de produção se configura na principal diferente que há entre fordismo e toyotismo. No toyotismo existe a aplicação do que é conhecido como de just in time.

Just in Time (“no momento certo” ou “na hora certa”, na tradução em português), é uma filosofia de manufatura, que visa a produção da demanda adequada para atender ao público. Além disso, a compra da matéria-prima é do tempo certo e as entregas dos produtos são realizadas dentro do prazo determinado. E isso faz com que o estoque seja evitado ao longo de todo o processo.

Mas em contrapartida, o taylorismo tinha como foco obter o aumento da produtividade dos funcionários, por meio da racionalização dos movimentos e ao controlar a produção. Quem criou esse sistema, não se preocupou com assuntos ligados a tecnologia, com o fornecer dos insumos e nem mesmo do modo como o produto chegaria até o mercado.

Enquanto isso, no fordismo havia a verticalização, onde era feito o controle desde das matérias-primas, da produção das peças, entre outros processos importantes. E esses são alguns dos aspectos que diferem cada um dos sistemas ou métodos citados.

Sobre os contras do fordismo

O fordismo trouxe muitas inovações, especialmente de caráter técnico e relativo a organização. As esteiras rolantes, por exemplo, que foram instaladas a fim de facilitar os processos, levando uma parte do que seria fabricado até os funcionários, são uma dessas inovações.

Mas com a implementação delas os funcionários começam a realizar trabalhos mais repetitivos. E isso foi algo que limitou esses profissionais, que não tinham a possibilidade se qualificar, já que não tinham conhecimento sobre as demais etapas do processo produtivo. E outro contra ali era a jornada de trabalho árdua a qual eram submetidos.

Porém mesmo com esses contras, esse sistema proporcionou melhorias no padrão de vida da classe operária no Brasil.

Citação

SOUSA, Priscila. (13 de Janeiro de 2023). Conceito de fordismo. Conceito.de. https://conceito.de/fordismo