Conceito.de

Conceito de meiose

Escutar o artigo

Meiose é o nome do processo de divisão celular onde são originadas células contendo metade dos cromossomos da principal. Nesse processo, uma célula dá origem a quatro células que são chamadas de células-filhas.

meiose
Na meiose são formadas quatro células chamadas de células-filhas

O termo vem do grego “meioun”, que possui o significado de “diminuir”.

E na meiose ainda ocorrem duas divisões das células, a meiose I e a meiose II.

A meiose I se trata de um processo reducional, já a meiose II é equacional. E ambas possuem subdivisões: se divide a meiose I em prófase I, metáfase I, anáfase I e telófase I; se divide a meiose II em prófase II, metáfase II, anáfase II e telófase II.

Meiose, apesar de ser também um processo de divisão celular como a mitose, se diferente dessa.

Uma das principais diferenças entre mitose e meiose é que na mitose há a formação de duas células-filhas, que contam com o mesmo número de cromossomos, enquanto na meiose são formadas quatro células-filhas tendo a metade do número de cromossomos.

Características da meiose

Na meiose ocorre a divisão das células, com uma originando mais quatro que são chamadas de células-filhas, sendo que essas últimas possuem a metade do número de cromossomos que tem a original (aquela que deu origem para essas).

E assim, a mitose gera, a partir de células diploides (com dois conjuntos de cromossomos), células haploides (com apenas um conjunto de cromossomos).

A meiose se trata de um importante processo para os seres humanos, sendo essencial para a formação de espermatozoides e também dos ovócitos. Com isso, o processo para a formação de um novo ser é garantido quando tais gametas se aliam no processo de fecundação.

Meiose I e suas fases

conceito de meiose
Há algumas etapas até que seja concluído o processo de meiose

É chamada de meiose I a primeira divisão da meiose, onde se terá ao final duas células-filhas contendo metade dos cromossomos que a original possui.

Na meiose I existem distintas fases, sendo:

Leptóteno: os cromossomos se condensam, com os mesmos já sendo duplicados. Aqui há duas cópias dos cromossomos que são ligados pelo centrômero, essas são conhecidas como cromátides irmãs;

Zigóteno: aqui é quando acontece o pareamento dos cromossomos homólogos (que fazem par com outros cromossomos). Conforme os cromossomos homólogos duplicados vão se aproximando para que ocorra o pareamento, uma maquinaria proteica faz com que haja a conexão e o alinhamento desses. Porque o cromossomo se encontra duplicado, haverá então quatro cromátides;

Paquíteno: quando ocorre a forma do complexo sinaptonêmico e os cromossomos se alinham e conectam, há então a sinapse, o que dá início ao paquíteno. E aqui pode acontecer o chamado crossing over, que é um processo que ajuda a conferir ampla variedade genética;

Diplóteno: aqui os cromossomos homólogos começam a se separar em virtude da dissociação do complexo sinaptonêmico. Aqui se observa uma conexão com o formato de X entre os cromossomos que fazem par com outros e estão pareados, sendo um processo que recebe o nome de quiasmas;

Diacinese: quando acontece a separação definitiva dos homólogos, que ficam ligados somente por meio dos quiasmas. Aqui também quando envelope nuclear é quebrado.

Após essas fases, dá-se início para a metáfase I. Aqui é quando os cromossomos se encontram bastante condensados e estão ligados às fibras do fuso constituídas na prófase I. É na placa metafísica que os cromossomos estão dispostos.

Na anáfase I acontece a separação dos cromossomos homólogos e os mesmos são puxados para os polos das células. Diferente do que acontece na anáfase da mitose, não existe o rompimento dos centrômeros, mas aqui acontece a migração por completo dos cromossomos.

Já na telófase I, acontece que certas espécies os cromossomos são condensados, se refaz a membrana nuclear e os nucléolos são organizados outra vez. O que vem a seguir é a divisão do citoplasma (processo que recebe o nome de citocinese), sendo que, ainda, as duas células-filhas são separadas.

Desse modo, quando o processo de meiose I é concluído, resultam duas células que possuem metade da quantidade de cromossomos da célula-mãe. E é por isso que essa é chamada de uma etapa reducional.

Meiose II

Na mitose II, entre uma e outra divisão não há uma nova duplicação do material genético. Essa divisão é equacional, logo, a quantidade de cromossomos se mantém igual. A meiose II possui certa similaridade com a mitose.

Aqui as células-filhas dão início para a primeira etapa que é a prófase II. Aqui os cromossomos são condensados e se forma o fuso, havendo também a fragmentação dos nucléolos e da membrana nuclear.

Dá-se início para a metáfase II, quando os cromossomos tem uma condensação ainda maior. Aqui os mesmos são presos às fibras que pertencem ao fuso através dos centrômeros, posteriormente se alinhando no plano equatorial que pertence à célula.

Já quando ocorre a etapa da anáfase II, as cromátides-irmãs são conduzidas até os polos. Aqui os centrômeros são separados.

Já quando chega a etapa da telófase II, o que ocorre é que os cromossomos saem da espiral, com os núcleos outra vez surgindo e havendo a reorganização da carioteca. E então acontece a citocinese e se formam as células-filhas.

Citação

SOUSA, Priscila. (4 de Novembro de 2022). Conceito de meiose. Conceito.de. https://conceito.de/meiose