Conceito.de

Conceito de natalidade

A natalidade é o número proporcional dos nascimentos que ocorrem numa população e num tempo determinado. Para a demografia, a taxa de natalidade é uma medida de quantificação da fecundidade.

Em geral, a natalidade é medida sobre o período de um ano e tem por base o número de nascimentos de uma população por cada mil habitantes. Esse dado é fácil de obter e de interpretar, mas não costuma ser muito preciso para calcular a fecundidade, já que depende da faixa etária e do género (sexo) da população. Numa localidade em que a maior parte das pessoas tenha idade superior a 40 anos, por exemplo, a taxa de natalidade será inferior à de uma localidade cujos habitantes sejam mais jovens.

Outras medidas utilizadas para medir a fecundidade são a taxa de fecundidade geral (analisa a relação entre o número de nascimentos num determinado período de tempo e a quantidade de habitantes do sexo feminino em idade fértil) e a taxa global de fecundidade.

Não apenas a taxa de natalidade, mas também a taxa de mortalidade, são dois indicadores do crescimento demográfico de um país.

A natalidade fornece dados que permitem estruturar políticas sociais e económicas. No caso das populações que envelhecem a taxas muito rápidas e registam poucos nascimentos, é provável que fiquem estagnadas e não sejam produtivas do ponto de vista económico. Visto isto, as autoridades tentarão facilitar a radicação de matrimónios de jovens que estejam em condições de trazer novos habitantes à povoação (localidade em questão).

Por meio do estudos dos dados obtidos através desse indicador, e também do outro indicador que é a taxa de mortalidade, então pode-se a variação na quantidade de indivíduos de um país e de que modo isso relaciona-se com fatores como qualidade de vida, economia, desenvolvimento, migrações, entre outros.

Alguns países, como é o caso da China, exercem um estrito controlo da natalidade por padecerem de sobrepovoação e pelo facto de os recursos poderem revelar-se insuficientes para satisfazer as necessidades de todas as pessoas.

Uma coisa importante a mencionar aqui sobre esse indicador é que ele representa apenas o número de nascidos vivos e no período de um ano, ou seja, os bebês que nasceram mortos ou que morreram logo após o parto não são incluídos nesse indicador.

Para fazer o cálculo tem-se como base os nascido em um ano e o número de pessoas num país, por exemplo. Assim, calcula-se essa taxa a cada mil habitantes e o resultado dela é apresentado em número por mil (também conhecido como “permilagem”).

Em exemplo seria se num país houvessem 1.200.000 habitantes e a quantidade de nascidos em um ano fosse de 5.000. Assim, fazendo o cálculo, ficaria:

5.000 x 1000 / 1.200.000 = 4,16

Isso significa que a taxa de natalidade desse país (fictício) seria de 4,16 %.

Existe uma realidade bastante distinta quanto a taxa de natalidade em países desenvolvidos e países subdesenvolvidos.

No caso de países desenvolvidos, a taxa de natalidade tende a ser menor, visto que há políticas públicas eficazes e que atendem devidamente a população, existindo planejamento familiar, maior acesso a saúde e educação, etc.

Já no caso dos países subdesenvolvidos, há maior taxa de natalidade devido à falta de eficácia nas políticas públicas (havendo menos acesso a saúde, educação, qualificação profissional, etc., como resultado disso, boa parte da população passa por dificuldades e falta de acesso aos recursos básicos e essenciais.