Conceito de ovíparo


Mai 25, 12

O termo ovíparo provém do latim ovipărus e diz respeito aos animais que põem ovos cuja segmentação não tenha iniciado ou ainda não esteja muito avançada. As aves, os insectos e os moluscos são considerados ovíparos.

Esta modalidade de reprodução supõe o depósito dos ovos num meio externo onde se completa o desenvolvimento antes da eclosão (quando o ovo se quebra e a cria sai para o exterior).

Dá-se o nome de ovo ao corpo arredondado/oval produzido pelas fêmeas e que simultaneamente contém e protege o embrião. Os ovos têm uma casca protectora de dureza e flexibilidade variável. Hoje em dia, a avestruz é o animal que põe os ovos de maior tamanho: podem chegar a pesar 1,5 quilogramas. No entanto, os dinossauros eram aqueles que depositavam ovos ainda maiores. Inversamente, o colibri-abelha (ou beija-flor zumbidor) é a ave que produz ovos de menor proporção, com um peso de apenas meio grama.

A reprodução ovípara pode realizar-se de duas formas. Alguns animais produzem ovos secos que são depositados ao ar livre uma vez completado o processo de fecundação interna. Outros animais, por sua vez, depositam os ovos sem fecundar sequer na água. Neste caso, a fecundação é externa uma vez que tem lugar quando o macho deixa o seu esperma entre os ovos enquanto a fêmea os deposita.

Um animal ovovivíparo é aquele em que os ovos são mantidos dentro da fêmea até ao momento da eclosão, podendo produzir-se de forma imediata logo após a postura ou mesmo antes do nascimento.