Conceito.de

Conceito de relações internacionais

As relações internacionais constituem uma disciplina que faz parte das ciências políticas e focam-se nas relações entre os Estados e entre os Estados e outras instituições que pertencem ao sistema internacional. Trata-se de um campo interdisciplinar, onde se combinam a política, o direito, a economia e a história, por exemplo.

Até à Primeira Guerra Mundial, a política internacional desenvolvia-se basicamente através da diplomacia. Depois desse conflito, passou a ser desenvolvida uma nova perspectiva das relações internacionais, com o objetivo de arranjar formas sistemáticas para poder prevenir aspectos relacionados com as guerras.

Existem diversas teorias dentro das relações internacionais. Por exemplo, Woodrow Wilson foi o impulsor do idealismo político, que se baseia na crença de que a natureza humana é altruísta e de que as pessoas são capazes de se entreajudar e de colaborar mutuamente.

O realismo político, por sua vez, desenvolveu-se entendendo a história como o resultado da natureza do ser humano por cobiçar o poder e desejar a dominação de outros. Ou seja, não se pode erradicar o instinto pelo poder.

O neo-realismo estrutural considera que é possível usar a guerra para alcançar a paz, daí o surgimento do conceito de guerra preventiva. O neoliberalismo, por sua vez, minimiza a função do Estado e considera que as relações internacionais deveriam ser reguladas pelas organizações internacionais e pelas ONG.

Estas e outras teorias combinam-se na hora de conceber as políticas e as instituições que regem as relações internacionais. Posto isto, existem diversas correntes de pensamento que acabam por definir a agenda internacional.

É chamado de profissional de relações internacionais o responsável pela comunicação entre diferentes povos, tendo essas comunicações distintos propósitos. Esse profissional ajuda os países a se relacionarem de forma que ambos tenham resultados em seu desenvolvimento.

Quando esse profissional atua em agências governamentais ele faz o planejamento de ações políticas, sociais, econômicas, podendo ser essas ações nos governos tanto federais quanto estaduais ou também municipais.

O profissional de relações internacionais, conhecido ainda como “internacionalista”, deve ser capaz de analisar e compreender as tendências e, ainda, ser capaz de elaborar cenários a fim de conquistar os objetivos propostos como conciliar culturas, contornar as perdas, facilitar as negociações entre os países (até mesmo negociações entre países que tenham algum tipo de adversidade entre si), entre outros assuntos.

Um profissional formado nessa área pode atuar em políticas internacionais, mas também em diplomacia, planejamento estratégico, assessoria para governos, análise de conjuntura social e econômica, assessoria para empresas privadas, análise de risco em políticas, operações financeiras internacionais, entre outros.

É comum que um profissional de relações internacionais atue em embaixadas, ministérios, empresas privadas, Organizações Não Governamentais (as chamadas ONGs), entre outros locais. Mas são os órgãos governamentais quem mais contratam esses profissionais. É necessária uma graduação para atuar nessa área.

Mas esse profissional é bastante comum atuando como analista internacional, onde ficará a cargo da realização de coleta de dados e, a seguir, pela elaboração de relatórios apresentando a situação internacional de um país, seja para os órgãos governamentais ou não (no caso de ONGs).