Conceito.de

Conceito de subordinação

A subordinação, com origem no latim subordinatĭo, é a sujeição ao comando, ao domínio ou às ordens de alguém. A subordinação, por conseguinte, implica uma dominação, podendo ser formal ou simbólica. Por hábito, o subordinado acata as ordens por haver uma relação hierárquica embora a subordinação também se possa aplicar pela força.

Exemplos: “Nesta equipa, o treinador sou eu: quem não estiver disposto a aceitar a subordinação, que se vá embora!”, “Cansei-me da subordinação perante um homem que não tem nenhum valor e que é incapaz”, “Isto é uma cooperativa, aqui não há subordinação nem hierarquias”.

A noção de subordinação também é usada na gramática para fazer referência à relação de dependência entre duas orações ou entre dois elementos de categoria gramatical diferente (substantivo-adjetivo, preposição-complemento, etc.).

A subordinação sintática implica que, entre duas proposições, a proposição principal possui maior hierarquia do que a proposição subordinada. Portanto, não podem ser trocadas entre si sem que seja alterado o significado da oração.

A relação de subordinação forma-se com o uso de elementos de ligação (“moletas”), embora estes se possam omitir através da justaposição: “O Roberto não pôde jogar porque estava lesionado” pode escrever-se “O Roberto não pôde jogar. Estava lesionado”.

Existem três grandes tipos de subordinação: a subordinação adverbial (com referências temporais, locais, modais ou comparativas), a subordinação substantiva (que cumpre distintas funções sintáticas) e a subordinação adjetiva (especificativa, explicativa ou substantivada).

“Se beber, não conduza” e “Tenho sono, pelo que vou dormir um pouco” são exemplos de orações cujas proposições mantêm uma relação de subordinação.

A subordinação está presente nos mais variados meios e situações, por exemplo: um filho é subordinado as regras e doutrinas de seus pais enquanto esse permanecer debaixo do teto deles ou, ainda, um cão policial é subordinado as ordens do seu dono, tendo esse recebido treinamento para tal.

No ambiente de trabalho, é importante que não se confunda com subordinação a coordenação realizada, pois, nesse caso, trata-se de uma organização ou mesmo de uma forma de parceria a fim de se chegar aos fins desejados. Outro caso que não se caracteriza como subordinação é na parassubordinação, uma vez que o funcionário não espera ordens, mas ele executa sua função, como no caso dos representantes comerciais.

De acordo com a doutrina jurídica, o trabalho subordinado possui distintas fases, sendo elas: escravidão, servidão, contrato civil e, por fim, a relação de emprego.

No mundo em que vivemos, uns acabam estando subordinados a outros, por exemplo: numa empresa, há os funcionários que estão subordinados ao gerente e o gerente que está subordinado ao diretor e o diretor está subordinado ao CEO. Essa subordinação é o acatar de leis, regras e de ordens vindas de quem se encontra num patamar maior do que o seu, mas sempre inseridas num contexto.

Por outro lado, quando uma pessoa age com desobediência ao seu chefe, pai, mãe ou quem o lidera, então essa pessoa está praticando um ato de insubordinação. A insubordinação pode ser exercida por um profissional ao seu chefe, por um soldado ao seu superior, por um filho aos seus pais, entre outros casos.