Conceito de sensibilidade




Mai 21, 13 Conceito de sensibilidade

Do latim sensibilĭtas, a sensibilidade é a faculdade de sentir (o que é próprio nos seres sensíveis e animados). O termo adquire diferentes significados de acordo com o contexto.

A sensibilidade pode ser a propensão natural de o ser humano se deixar levar pelos afectos da ternura e da compaixão. Exemplos: “A foto de uma criança desnutrida despertou a minha sensibilidade e decidi colaborar”, “O meu marido não é grande apreciador deste tipo de filmes, acho que ele não tem a sensibilidade muito apurada”, “Para trabalhar no hospital, deve-se deixar a sensibilidade de lado e não se comprometer afectivamente com os pacientes”.

Num contexto artístico, a sensibilidade está relacionada com a intenção estética. As pessoas sensíveis, neste sentido, têm propensão para se exprimirem através da arte e a evidenciarem diversos matizes: “É um pintor de grande sensibilidade”, “O novo filme vem comprovar, uma vez mais, a sensibilidade deste realizador”.

Para a biologia, a sensibilidade é a capacidade que os seres vivos têm de percepcionar/captar estímulos, tanto internos como externos, através dos sentidos. O sistema nervoso tem uma função fisiológica que permite detectar as variações físicas ou químicas através dos órgãos sensoriais: “Nesta parte da mão, temos mais sensibilidade”, “Um acidente fê-lo perder a sensibilidade dos dedos”.

Sensibilidade, por fim, é a medida de eficácia de alguns aparelhos ou de certas máquinas. O conceito diz respeito à capacidade de detectar uma magnitude (grandeza) ou de responder a uma ordem: “Este é um dispositivo de grande sensibilidade, capaz de detectar objectos que estejam enterrados a mais de cem metros”.