Conceito de SIDA




Dez 01, 12 Conceito de SIDA

A SIDA é uma doença viral que se caracteriza pela ausência de resposta imunitária. O termo é o acrónimo de Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

O VIH (Vírus de Imunodeficiência Humana) é o vírus que causa a doença conhecida como SIDA. Este vírus foi descoberto pelo investigador francês Luc Montagnier, em 1983.

É importante ter em conta que estar infectado pelo VIH não é o mesmo que ter SIDA. As pessoas que estejam infectadas pelo VIH são seropositivas e desenvolvem sintomas de SIDA apenas quando as células que atacam o vírus descendem abaixo de um determinado valor.

O VIH transmite-se através do sangue, do sémen (esperma), das secreções vaginais e do leite materno. Por isso, os sujeitos seropositivos devem ter o cuidado de não trocar ou transmitir esses fluidos, pois correm o risco de contagiar outras pessoas (potenciais companheiros) e, por conseguinte, de propagar a SIDA.

Usar preservativo no acto sexual e o facto de não partilhar ou emprestar seringas são hábitos que fazem parte das condutas que ajudam a prevenir a SIDA.

Beber do mesmo copo, abraçar, beijar na cara ou dar a mão, no entanto, são gestos que não implicam qualquer risco de contacto. Posto isto, a prevenção da SIDA implica responsabilidade, respeito e educação para evitar a discriminação dos doentes.

A SIDA pode ser tratada através de terapias com fármacos anti-retrovirais, os quais actuam em várias etapas do ciclo vital do VIH. Há cientistas que sustentam, contudo, que os anti-retrovirais produzem SIDA, ainda que esta teoria tenda a ser negada pela maioria dos especialistas.