Conceito de solilóquio


Nov 15, 12

Do latim soliloquĭum, um solilóquio é uma reflexão que se realiza em voz alta e, regra geral, de forma solitária. O conceito está associado ao monólogo e ao discurso deste tipo que realiza uma personagem de uma obra dramática.

O solilóquio é um discurso ininterrompido (isto é, que não incita nem permite que um interlocutor participe ou responda) que transmite pensamentos ou emoções. Trata-se de uma declamação subjectiva e de valor psicológico, pois permite aceder ao interior do sujeito em questão.

Apesar das suas características, o solilóquio pode encobrir um diálogo que a pessoa mantém consigo mesma, com um objecto ou com um ser incapaz de falar (como uma planta ou um animal). Este recurso permite que o sujeito exteriorize os seus sentimentos mesmo que esteja sozinho.

Um dos solilóquios mais famosos da história é aquele que escreveu William Shakespeare para a sua obra “Hamlet”, onde a personagem principal pega numa caveira e exclama: “Ser ou não ser, eis a questão”.

O solilóquio, por conseguinte, é um discurso que a pessoa mantém consigo mesma. Ao ser pronunciado em voz alta, o que teria sido um monólogo interior converte-se noutro tipo de expressão, muito útil para as representações teatrais.

Na linguagem quotidiana, o solilóquio tem uma carga pejorativa, tendo em conta que está a ser associado à loucura ou à falta de vontade ou capacidade para a comunicação interpessoal: “Depois de um solilóquio de quase meia hora, o homem abandonou a sala e deixou os assistentes atónitos”.