Conceito.de

Conceito de pupilo

Escutar o artigo

Pupilo é uma noção com vários usos. Procedente de pupillus, que é um vocábulo latino, o habitual é ser usado enquanto sinónimo de “aluno”, evocando assim um menino ou jovem relativamente ao seu professor, instrutor ou tutor. Exemplos: “O novo campeão regional de atletismo é pupilo do professor Franco”, “Fui pupilo desta escola durante cinco anos”, “Quero que o meu filho seja pupilo do Colégio São Mateus”.

O termo pupilo vem do latim “pupillu” e significa “criança órfã”. Assim, era usado (e ainda hoje é) para designar a criança órfã (ou também o adolescente órfão) que encontra-se sob os cuidados do seu tutor, que é aquele que lhe iria instruir, guia e proteger.

Às vezes, o termo pupilo é usado como equivalente de aluno, estudante, aprendiz ou outros termos semelhantes. No entanto, é frequente ser usado especificamente em referência a todo o aluno que viva no estabelecimento (que lá passe as suas noites) ou que almoça na instituição.

Estas particularidades, por conseguinte, apresentam algumas diferenças no uso apropriado dos conceitos. O menino que entra na escola às 8 da manhã e sai às 13, sem receber qualquer refeição por parte da escola, pode designar-se estudante ou aluno. Em contrapartida, à criança que fique na escola até às 17 horas, almoçando na cantina, pode-se-lhe chamar de pupilo.

Da mesma forma, um menor que passa oito meses por ano na escola a viver dentro da instituição, poderá definir-se como pupilo ou aluno interno. Diferente é a situação daquele que todos os dias regressa a casa e logo no dia seguinte volta à escola, unicamente para assistir às aulas correspondentes.

No âmbito do desporto e da arte, são considerados pupilos aqueles que se formaram com alguma figura conhecida/célebre/famosa: “Fui pupilo de um tenor muito famoso, quem me ensinou tudo aquilo que hoje sei sobre a voz”, “O treinador considera-o seu pupilo preferido”.

É mais comum no Brasil, por exemplo, o uso do termo “pupilo” para descrever quando alguém é aluno de algum mestre famoso, seja no âmbito da música, das artes, etc., por exemplo: “por muitos anos ele foi pupilo daquele grande artista plástico italiano”.

Mas esse termo é usado também no sentido figurado para designar um “protegido”, ou seja, um aprendiz também, mas que é apadrinhado por quem o instrui, sendo que esse instrutor deseja transmitir os seus conhecimentos numa arte ou profissão para esse pupilo. Assim, esse pupilo seria um dos poucos (ou o único ou mesmo o primeiro) a conhecer e praticar tal arte ou profissão do modo como esse instrutor o fazia.

Esse termo foi generalizado com o objetivo de descrever uma criança ou um jovem que era escolhida por uma pessoa para ser sua protegida. Se formos por esse contexto, então a criança que é adotada, que é enteada (filha de um dos cônjuges) ou sobrinho ou mesmo afilhado pode ser designada como um “pupilo”.

Mas há também os casos de quem é apadrinhado por alguém que possui melhores condições financeiras ou é mais influente na sociedade e é chamado de “pupilo” dessa pessoa: “dizem que aquele é o pupilo do governador”.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (13 de Outubro de 2015). Conceito de pupilo. Conceito.de. https://conceito.de/pupilo