Conceito.de

Conceito de ambivalência

Escutar o artigo

Ambivalência, do latim “ambis” (os dois) e “valentia” (força), define a condição, estado ou caráter do que é ambivalente. Ela é o que define quando se possui, simultaneamente, dois sentimentos ou ideias em relação a algo.

Ambivalência
Ambivalência define quando se possui dois sentimentos ou ideias distintas simultâneas sobre algo ou alguém

Explica-se a ambivalência como tratando-se da experiência de ter pensamentos e emoções ao mesmo tempo positivas e negativas em relação a alguém ou em relação a alguma coisa. O exemplo mais comum que há sobre esse conceito é o sentimento de amor e de ódio (simultâneos) que se tem por uma pessoa.

Conta-se que o termo ambivalência foi proposto pelo psiquiatra suíço Eugen Bleuler em 1910. Mas tarde esse termo foi redefinido por Sigmund Freud.

Quando Breuler criou o termo o objetivo era indicar um dos sintomas da esquizofrenia, o qual caracterizava-se como a constante negação e afirmação de sentimentos ou de discursos pelo paciente.

Quando ela se manifesta

É descrito que a ambivalência existe desde o nascimento, quando o bebê separa a mãe, que o seu objeto de amor, entre boa e má.

A ambivalência é descrita como algo psicologicamente desagradável no momento em que os aspectos negativos e positivos estão constantemente presentes na mente do indivíduo sobre algo ou alguém. O que isso pode gerar é uma constante ansiedade por resolver essa ambivalência, levando até mesmo a evasão.

Por outro lado, quando a ambivalência não exige que o indivíduo tome uma decisão, então há menos desconforto para ele.

Ambivalência causa indecisão e conflito no indivíduo

No contexto da ambivalência, a pessoa encontra-se dividida entre dois impulsos ao mesmo tempo, sem conseguir se decidir para qual deles deveria ceder. O que essa pessoa quer é satisfazer ambos os impulsos/desejos, contudo, devido a serem opostos em sua dinâmica e no que oferecem, essa pessoa não consegue fazer isso, ela não consegue satisfazê-los ao mesmo tempo.

Como resultado de situações onde haja ambivalência, a pessoa encontra-se num estado constante de ansiedade e tensão, sempre indeciso em relação a isso, algo que prejudica o que ele faz e até mesmo de forma visível.

A ambivalência é a ambiguidade nos sentimentos de um indivíduo, sendo assim descrita pela psicanálise. Um exemplo disso é quando uma pessoa sente, ao mesmo tempo, amor e ódio por um familiar. Mas se esse familiar vir a falecer, então essa pessoa irá se sentir culpada, devido a haver desejado a morte desse familiar (ainda que de forma inconsciente). Na ambivalência, nesse contexto, pode haver então sentimentos de culpa e o luto.

É dito que praticamente todos os seres humanos já experimentarem esse sentimento conflitante que é a ambivalência, tendo por uma pessoa, simultaneamente, um sentimento de amor e de ódio. E isso pode vir a acontecer com algum familiar, com um amigo, um professor, um colega de trabalho (tendo por ele admiração e ao mesmo tempo ódio, por exemplo), etc.

Um exemplo claro também de onde a ambivalência costuma existir em letras de canções. É bem comum que compositores descrevam o quanto se ressentem por uma pessoa, ao mesmo tempo que amam muito essa mesma pessoa. A ambivalência é retratada também em filmes (especialmente os de romance), séries, entre outros.

Num filme onde um homem e uma mulher se conhecem em certas circunstâncias e acabam desenvolvendo um sentimento de afeto um pelo outro, como um amor à primeira vista, contudo nas demais vezes em que se encontram apenas se desentendem, tendo então desenvolvido esse sentimento de ódio também, em simultâneo, pode ser descrito como uma situação de ambivalência.

Ambivalência na visão da psicanálise

conceito de ambivalência.
Amor e ódio são sentimentos que transitam juntos nos casos de ambivalência.

O conceito de ambivalência é algo que possui muita importância na área da psicanálise. E Freud foi um dos que contribuíram para o entendimento da ambivalência.

Um exemplo é quando um familiar adoece gravemente ou morre, então a pessoa tem um sentimento de culpa, algo que, de acordo com Freud, trata-se de uma manifestação da ambivalência, transitando entre amor e ódio. E isso mostra duas coisas:

– Que em um dado momento a pessoa esteve com um sentimento extremo de raiva por esse indivíduo, a tal ponto de desejar, mesmo que inconscientemente, que ele morresse;

– Mas por outro lado ela sentia um carinho enorme por aquele indivíduo, a tal ponto de desejar sempre o melhor para ele e até mesmo fazer sacrifícios por ele.

Características das reações que são ambivalentes

É possível definir as seguintes características em relações que possuem ambivalência:

– Sentir atração e repulsa ao mesmo tempo por um mesmo indivíduo;

– Ter vontade falar algo sobre um tema, contudo, em simultâneo, não ser capaz de exprimir suas ideias;

– Gostar muito de uma pessoa, mas odiar as atitudes que ela tem;

– A pessoa tem uma grande vontade de agir diante de algo, contudo ela se mantém passiva perante aquilo.

Citação

SOUSA, Priscila. (23 de Março de 2022). Conceito de ambivalência. Conceito.de. https://conceito.de/ambivalencia