Conceito.de

Conceito de homeostasia

Homeostasia é o conjunto de fenómenos de auto-regulação que levam à preservação da constância quanto às propriedades e à composição do meio interno de um organismo. O conceito foi criado pelo fisiologista norte-americano Walter Bradford Cannon (1871-1945).

Este termo vai para além da biologia ao fazer referência à característica de qualquer sistema, seja ele aberto ou fechado, que lhe permite regular o ambiente interno para manter uma condição estável. A estabilidade é possibilitada por vários mecanismos de auto-regulação e diversos ajustes dinâmicos.

A homeostasia é um dos princípios fundamentais da fisiologia, tendo em conta que basta haver uma falha desta característica para desencadear um mau funcionamento de diferentes órgãos.

O organismo humano é como uma máquina que necessita que cada componente esteja em pleno funcionamento e devidamente ajustado para que ocorra um funcionamento adequado. Se há uma elevação ou redução da temperatura, por exemplo, isso pode comprometer o organismo, acarretando em alterações mentais e até mesmo podendo levar a morte.

A homeostasia biológica consiste portanto num equilíbrio dinâmico que se alcança graças a constantes alterações para manter o resultado do conjunto. Este processo implica o controlo dos valores energéticos considerados normais: caso um valor esteja fora dos parâmetros normais, são logo ativados diversos mecanismos de modo a compensá-lo.

A homeostasia do organismo depende do meio interno (com a produção e eliminação de certas substâncias; por exemplo, através da urina) e do meio externo (a relação entre o ser vivo e o meio ambiente).

Os processos fisiológicos que acontecem no interior do organismo são fundamentais para que a homeostasia se mantenha, pois eles garantem que valores essenciais para o meio interno sejam mantidos. Ou seja, tudo isso mantém o equilíbrio no interior do organismo e, assim, há a homeostasia.

Alguns exemplos de processos que ajudam a garantir a homeostasia são: a digestão, a excreção e a respiração, pois por meio desses o meio interno recebe os nutrientes e a oxigenação que precisa para suas células, ajudando, ainda, a eliminar substâncias tóxicas ao organismo.

Na falta de equilíbrio do meio interno, seja ela causada por problemas internos ou externos, então há alteração na homeostase, algo que pode provocar doenças. E nos casos em que a homeostase não se reestabelece, então a pessoa pode até mesmo morrer.

Pressão arterial, temperatura do corpo, frequência cardíaca e pH dos líquidos do corpo são alguns elementos que devem estar equilibrados para manter a homeostasia.

Ainda, o sistema endócrino e o sistema nervoso são essenciais para que o organismo mantenha a homeostasia. A função do sistema nervoso aqui é avisar quando há algo de errado ocorrendo no meio interno, produzindo ainda uma resposta para um dado estímulo. Já o sistema endócrino faz com que haja secreção de mensageiros químicos no organismo.

A homeostasia psicológica, no que lhe diz respeito, tem lugar pelo equilíbrio entre as necessidades e a sua satisfação. Quando as necessidades não são satisfeitas, assiste-se a um desequilíbrio interno. O sujeito procura alcançar um estado de equilíbrio através de condutas (comportamentos) que lhe permitam satisfazer essas necessidades.

A homeostasia cibernética, por fim, é a capacidade de um sistema cibernético de manter certas variáveis dentro de limites toleráveis.