Conceito de pluricelular


Abr 07, 15

O adjectivo pluricelular aplica-se aos seres vivos que dispõem de mais de uma célula no seu organismo. Isto permite fazer a distinção entre os seres pluricelulares (igualmente conhecidos como multicelulares) e os seres unicelulares, que só têm uma célula.

Nos organismos pluricelulares, por conseguinte, existem diferentes células que se reproduzem através da meiose ou a mitose e que desempenham diversas funções. O ser humano, os animais e as plantas são exemplos deste tipo de organismos. Em contrapartida, entre os organismos unicelulares, pode-se mencionar as bactérias e as amebas.

Não existe uma única teoria que explique a origem dos seres pluricelulares. Os cientistas mencionam uma possível simbiose desenvolvida entre uma grande quantidade de seres unicelulares de uma mesma espécie, que derivou no aparecimento de organismos multicelulares.

A simbiose também pode ter sido causada por diferentes espécies unicelulares que finalmente deram origem a um organismo multicelular. Uma terceira teoria, em contrapartida, fala de seres unicelulares mas com vários núcleos, a partir dos quais surgiram partições nas suas membranas internas.

A partir da evolução da pluricelularidade, deu-se lugar a organismos dos mais diversos. Hoje, podemos encontrar no grupo dos seres pluricelulares a fungos, vegetais, peixes, insectos e mamíferos, só para citar algumas possibilidades, o que revela a amplitude do conceito.

A pluricelularidade, em resumo, implica um desenvolvimento evolutivo muito maior relativamente aos organismos unicelulares, uma vez que a diferenciação das células acarreta funcionalidades especializadas. As diferentes células, por outro lado, são agrupadas em tecidos que, por sua vez, dão lugar aos órgãos.