Conceito.de

Conceito de pseudocódigo

Escutar o artigo

Antes de abordar o significado do termo pseudocódigo, torna-se necessário que procedamos a determinar a origem etimológica das duas palavras que a compõem:

– Pseudo deriva do grego, de “seudo”, que se pode traduzir por “falso”.

– Código, por sua vez, deriva do latim. Para sermos mais exatos, de “códices, codex” que se usava em referência aos documentos ou livros onde os Romanos tinham escritas todas e cada uma das suas leis.

pseudocódigo
Um pseudocódigo é como uma descrição de um algoritmo

A nossa língua recorre a diversos afixos para formar palavras. Um dos termos mais habituais é pseudo, que permite fazer referência a que algo não é original, uma vez que é falso ou uma imitação.

Um código, por sua vez, é uma série de símbolos que fazem parte de um sistema e que têm um determinado valor já atribuído. Os símbolos incluídos num código são combinados, respeitando regras e permitindo transmitir uma mensagem.

Estas definições permitem-nos compreender o que é um pseudocódigo, uma noção que é usada no âmbito da informática.
Trata-se de uma falsa linguagem, tendo em conta que recorrer às normas de estrutura de uma linguagem de programação ainda é desenvolvida para que possa ser lido por um ser humano e não interpretado por uma máquina.

Onde se encontra o algoritmo e a importância do pseudocódigo

O algoritmo é algo que pode ser encontrado em distintas situações, tal como no caso de um texto que mostre cada etapa para fazer algo, uma lista com afazeres que estejam organizados, uma receita, entre outros.

Mas não há uma regra que seja formalizada para determinar através de que usar algo, então o que acontece é que, então no que diz respeito a linguagem de programação isso torna-se em algo mais longe, mas surge aqui o pseudocódigo para solucionar tal fato.

E essa é uma linguagem que é desenvolvida em português, por tanto, o chamado “portugol” que é comum no Brasil. Esse portugol é ainda chamado de português estruturado. Essa existe desde os anos de 1988, sendo que seus criadores foram os professores Antonio Mannso (de Portugal) e Antonio Carlos Nicolodi (do Brasil).

Sobre o pseudocódigo

O pseudocódigo, neste sentido, é considerado como uma descrição de um algoritmo que é independente de outras linguagens de programação. Para que uma pessoa possa ler e interpretar o código em questão, são excluídos diversos dados que não são chave para sua compreensão.

Um pseudocódigo, por conseguinte, é algo que é usado quando se pretende descrever um algoritmo sem a necessidade de difundir quais são os seus princípios básicos. Desta forma, um ser humano encontrará maiores facilidades para compreender a mensagem, ao contrário daquilo que aconteceria se estivesse diante de uma linguagem de programação real.

Na hora de levar a cabo a criação de um pseudocódigo, é necessário que a sua estrutura seja composta por seguintes partes:
-Um cabeçalho, que, por sua vez, deve ser composto por cinco áreas diferenciadas, entre os quais o programa, o módulo, os tipos de dados, as constantes e as variáveis.

-O corpo, que se dividirá em inicio, instruções e fim.
Para além de tudo o que é aqui referido, é importante estabelecer outra série de dados de interesse relativos a qualquer pseudocódigo:

-Deve-se poder executar em qualquer ordenador.
-Não tem nada que ver com a linguagem de programação que se vai poder usar depois, isto é, que é independente relativamente ao mesmo.
-Tem que ser simples de usar e também de manipular.

-Deve permitir que se possa fazer a descrição de diversos tipos de instruções, tais como de processo, de controlo, de descrição, primitivas ou compostas.

-Na hora de poder realizar a criação desse pseudocódigo deve-se ter em conta que serão utilizados diversos tipos de estruturas de controlo. Neste caso, podemos dizer que são de três classes: seletivas, sequenciais e interativas.

Estas características fazem com que os pseudocódigos sejam utilizados em obras científicas e educativas e nas etapas anteriores ao desenvolvimento de um software, em jeito de rascunho antes de proceder à programação.

Elementos básicos

conceito de pseudocódigo
É importante conhecer os principais comandos antes de usar esse tipo de código

De modo geral, ele se trata de um programa em português para representar algoritmos, e que em seguida isso pode ser transferido para um computador. E para que escreva código por meio dele, antes é necessário conhecer os principais comandos desse.

A seguir estão alguns comandos básicos para se conhecer a fim de fazer uso do pseudocódigo:

Escreva (” “) = esse faz com que se imprima uma mensagem na tela;

Leia () = com esse comando se faz a leitura de valores que se digitou no teclado;

<- = comando de atribuição;

– inicio = com esse termo se inicia o programa principal;

fimalgortimo = dá fim para o algoritmo;

var = indica o espaço onde se faz a declaração de variáveis;

algoritmo = e esse é o comando que indica onde e o início de um programa. E entre as aspas se escreve o nome do algoritmo

A essencialidade desse tipo de código

Assim, o pseudocódigo é de suma importância para que se evite que as instruções que são passadas no formato de código existam com ambiguidade. Esse conceito ainda possui relação com o conceito de entrada de dados, processo e saída desses num programa de computador.

E existem hoje disponíveis muitas ferramentas para fazer a criação de um pseudocódigo. Há quem faça isso em papel, contudo seria mais para realizar um treinamento, depois passando para um software de computador. Um exemplo disso é o VisuAlg, que é um software dentre os mais usados para escrever esses códigos e também para compreender seu funcionamento.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (26 de Outubro de 2015). Conceito de pseudocódigo. Conceito.de. https://conceito.de/pseudocodigo