Conceito.de

Conceito de falso

Escutar o artigo

Falso pode ser um substantivo, um adjetivo ou um advérbio. Antes de mais, o que é falso não é nem verdadeiro nem autêntico. Iremos abordar este conceito com base nos dois termos que lhe estão associados: falsidade e falsificação. A falsidade faz referência à falta de verdade ou de autenticidade. Uma falsidade pode ser uma mentira, que é uma declaração que oculta ou tergiversa a realidade parcial ou totalmente. Por exemplo: uma criança parte um vaso sem ninguém se aperceber; quando a sua mãe lhe pergunta se sabe quem é que partiu esse vaso, responde que não. Nesse caso, a criança incorreu numa falsidade, uma vez que mentiu.

falso
Falso designa aquilo ou aquele que não é autêntico

Por outro lado, a falsidade está associada à hipocrisia, que ocorre quando uma pessoa finge ter qualidades ou sentimentos contrários àqueles que verdadeiramente tem ou sente. A falsidade tem lugar pela falta de conformidade entre as ideias e as palavras ou ações: “É incrível o quanto o Fernando consegue ser tão falso: disse-me que me queria e, depois, acabei por vê-lo a beijar a Maria da Luz”.

Para a filosofia, a falsidade é o oposto da verdade (noutros termos, o falso é o oposto do verdadeiro), sem que esta situação suponha algo objetivo ou submetido à contingência.

Na acepção de autenticidade, ou melhor, não se tratando do carácter das pessoas, não se diz falsidade mas falsificação, que costuma estar associada a uma imitação que pretende passar pelo objeto original. Alguns exemplos típicos são o dinheiro falsificado e a roupa que copia as marcas famosas: “A falsificação da nota foi averiguada através de raios ultravioletas”, “Apercebi-me da falsificação do casaco, ao ler a sua etiqueta, pois era suposto ser de couro autêntico”.

Por fim, no âmbito do direito, a falsificação é um delito que consiste na alteração ou na simulação da verdade com efeitos relevantes. Ora, a falsificação de notas, marcas (carimbos, selo branco, assinaturas, etc.) é um delito punido pela lei.

Falso positivo

A expressão “falso positivo” é usada no âmbito da medicina para designar quando um paciente faz um exame e o mesmo traz um resultado positivo para a alguma doença, sendo que o paciente não possui aquela doença.

Isso acontece devido a que, mesmo com toda a eficiência, os exames não oferecem 100% de confiabilidade. Nos casos dos exames qualitativos, que apresentam resultados negativos ou positivos, tendem a sofrer com os efeitos dos chamados erros pré-analíticos, que costumam acontecer antes da realização da análise laboratorial.

O falso positivo ainda pode acontecer nos casos de gravidez.

Uma mulher pode realizar o teste e apresentar um resultado positivo para uma gravidez, sendo que aquece resultado se deu em virtude do uso de algum suplemento nutricional, por exemplo. É por isso que mesmo que a mulher realiza o teste de farmácia, depois terá que confirmar o resultado por meio de exame de sangue, que é o BHCG, e da ultrassonografia.

Falso (falsificação)

conceito de falso
O ato de falsificar constitui-se em crime

A falsificação constitui-se em crime, o qual pode ser praticado para realizar réplicas de produtos físicos como roupas, relógios, etc. Mas há também a falsificação de produtos digitais, que se trata de fazer cópias não autorizadas desses produtos como softwares. Nesse caso, é dado também o nome de pirataria para o processo de falsificação de produtos, sejam eles produtos físicos ou digitais.

Há um mercado ilegal que existe em vários países, onde indivíduos realizam réplicas de produtos e os comercializam com preços muito abaixo dos praticados para os originais. E quem adquire produtos desse tipo está alimentando um mercado que contribui para o crime organizado.

Falso testemunho

O falso testemunho é quando um indivíduo que foi intimado para oferecer seu testemunho em juízo, inquéritos de polícia ou em processos administrativos traz uma mentira.

Esse é um crime que ainda é conhecido como falsa perícia e onde o responsável responderá de acordo com a lei. No Brasil, há uma pena que varia de 2 a 4 anos de reclusão para quem comete esse ato, além da aplicação de uma multa. Mas se o indivíduo se retrata a tempo (antes que o falso testemunho cause algum dano), então essa conduta deixaria de ser punível.

E os indivíduos que podem cometer esse crime são: testemunhas, contador, perito e, mesmo, o tradutor e o interprete. Mas para que haja a tipificação da conduta, é preciso que a verdade seja conhecida.

Quando uma testemunha usa o seu direito constitucional de se manter em silêncio durante um interrogatório, então isso não pode ser considerado como falso testemunho.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (19 de Maio de 2012). Conceito de falso. Conceito.de. https://conceito.de/falso