Conceito.de

Conceito de psiquiatria

Escutar o artigo

A psiquiatria é a ciência que se dedica ao estudo e ao tratamento das doenças mentais. O seu objetivo é prevenir, diagnosticar, tratar e reabilitar os distúrbios da mente.

Mais recentemente, no século XIX, os distúrbios mentais começaram a ser tratados cientificamente como doenças. Até então, as pessoas que sofriam de doenças mentais eram fechadas em asilos e recebiam diversos tratamentos com a intenção de lhes restituir a razão.

O Alemão Emil Kraepelin (1856-1926) é mencionado como o pai da psiquiatria e o responsável POR incluir esta ciência no âmbito da medicina. A partir das suas contribuições, a psiquiatria começou a considerar tanto os fatores psicológicos e sociais como as questões biológicas no tratamento dos pacientes.

Os tratamentos psiquiátricos, por conseguinte, podem dividir-se em dois grandes tipos: os biológicos, que podem incluir medicinas e aplicar choques eléctricos para atuarem na bioquímica do cérebro, e os psicoterapêuticos, que recorrem às técnicas da psicologia.

A psiquiatria inclui subespecialidades, como a psicopatologia (que estuda os processos que podem levar à insanidade mental), a psicofarmacologia (dedicada à análise dos efeitos dos fármacos nos tratamentos comportamentais, emocionais ou cognitivos) e a sexologia (o estudo esquemático da sexualidade humana).

É chamado de psiquiatra o profissional que se especializa para atuar com psiquiatria. Mas esse deve graduar-se em medicina e deve ter feito residência em psiquiatria. Esse profissional realiza o diagnóstico e define o tratamento para questões de ordem mental, tais como depressão, ansiedade, dependências químicas, etc.

Quando é realizada a avaliação psiquiátrica, além do exame do estado mental do paciente, o psiquiatra também realiza uma avaliação médica, bem como, é realizada ainda uma avaliação da história clínica desse paciente.

O psiquiatra pode solicitar exames de imagem, além de testes neurológicos, psicológicos e neuropsicológicos para auxiliar no diagnóstico e definição do tratamento adequado. Outros exames como os de laboratórios e os físicos podem ser utilizados como complementares.

Na avaliação psiquiátrica, a avaliação médica geral pode contribuir para o diagnósticos, já que as condições médicas gerais podem influenciar no comportamento do paciente e também podem influenciar no desenvolver de transtornos mentais.

Os medicamentos psiquiátricos, conhecidos também como psicofármacos, constituem uma importante parte do arsenal terapêutico, algo único na área da psiquiatria, tal como acontece com os procedimentos não farmacológicos ou “físicos” (a exemplo disso há a eletroconvulsoterapia).

Há profissionais da área da psiquiatria que se especializam num determinado grupo, segundo a faixa etária, tal como os pedopsiquiatras (especializados no tratamento psiquiátrico de crianças e adolescentes) e os gerontopsiquiatras (especializados no tratamento de idosos). Há ainda os psiquiatras forenses que se especializam na elaboração de laudos de sanidade ou mesmo no tratamento de criminosos, por exemplo.

Um psiquiatra difere de um psicólogo, pois enquanto esse primeiro atua em diferentes especialidades dentro da psiquiatria e tem a permissão para prescrever medicamentos, o psicólogo é aquele graduado em psicologia e que é habilitado para atuar em problemas que são de ordem psicológica ou mesmo comportamental através de, por exemplo, sessões de psicoterapia.

Chama-se antipsiquiatria ao conjunto de teorias e posições que consideram que a psiquiatria tradicional não é benéfica, uma vez que utiliza conceitos médicos inadequados, está associada aos interesses económicos da indústria farmacêutica, estigmatiza os seus pacientes, chegando, inclusivamente, a tratar as pessoas contra a sua própria vontade.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (4 de Abril de 2013). Conceito de psiquiatria. Conceito.de. https://conceito.de/psiquiatria