Conceito.de

Conceito de rima

Escutar o artigo

Uma rima é a repetição de uma sequência de sons a partir da vogal da última sílaba tónica do verso. Quando a repetição inclui todos os fonemas a partir desse limite, trata-se de uma rima consonântica (também se diz rima consoante). Por sua vez, se a repetição apenas se verificar com as vogais a partir desse limite, estaremos perante uma rima vocálica (ou rima toante/assoante).

O conceito de rima também permite fazer referência à composição em verso do género lírico, ao conjunto de versos (poemas) e ao conjunto dos sons consoantes ou assoantes usados numa composição (“Este livro apresenta uma rima bastante pobre”).

A rima trata-se de um recurso de estilo de linguagem utilizado em gêneros discursivos que possuem versos como sua estrutura, nisso podemos citar os poemas e também as letras de músicas. Para muitos poetas, estudantes de poesia e poetas iniciantes, a rima é um dos elementos mais essenciais de uma poesia. E para a composição de letras de músicas ela é também importantíssima, ajudando a atribuir mais ritmo e sonoridade a uma canção.

Ainda, as rimas podem ser classificadas em: rima pobre, rima rica, rima rara e rima preciosa. No entanto, as mais popularmente utilizadas são as duas primeiras. Vejamos a seguir a definição e exemplos de cada uma:

– Rima pobre: quando as palavras rimadas pertencem a uma mesma classe gramatical (verbo – verbo; substantivo – substantivo; adjetivo – adjetivo). Por exemplo: pranto e espanto, amar e cantar, coração e razão. Apesar do seu nome, as rimas pobres são se tratam de criações de qualidade inferior, muito pelo contrário, há diversas obras literárias que fazem uso dela;

– Rima rica: quando as palavras rimadas pertencem a classe gramaticais distintas (adjetivo – substantivo; verbo – substantivo; pronome – adjetivo);

– Rima rara: são rimas feitas com palavras que permitem poucas possibilidades de aproximação, ou seja, onde existem poucas palavras (raras) que possam ser usadas para rimar com ela; estrelas e vê-las. Um poeta que trabalha bastante com esse tipo de rima é o brasileiro Gilberto Mendonça Teles;

– Rima preciosa: geralmente é feita com palavras combinadas, por exemplo: resume-as e calúnias; malária e alague-a, quebranta-o e pântano.

Exemplos de rimas:

E fico, pensativa, olhando o vago…

Tomo a brandura plácida dum lago

O meu rosto de monja de marfim…

E as lágrimas que choro, branca e calma,

Ninguém as vê brotar dentro da alma!

Ninguém as vê cair dentro de mim!

(extraído de “Lágrimas Ocultas”, de Florbela Espanca)

“marfim” e “mim”, por exemplo, constituem uma rima consonântica, ao passo que “calma” e “alma” compõem uma rima vocálica.

Flor Bela de Alma da Conceição Espanca, mais conhecida por Florbela Espanca foi uma poetisa e contista portuguesa, famosa pelas suas produções em prosa. Nasceu a 8 de Dezembro de 1894 em Vila Viçosa (Alentejo) e faleceu precisamente 36 anos mais tarde, em Matosinhos.

Esta poetisa também influenciou outros artistas, nomeadamente Fernando Pessoa, que lhe prestou homenagem num dos seus poemas (“À memória de Florbela Espanca”), e a banda Trovante, com a canção intitulada “Perdidamente” (do soneto “Ser poeta”, extraído do seu volume de poemas Charneca em Flor), sendo um dos maiores êxitos deste grupo.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (11 de Março de 2012). Conceito de rima. Conceito.de. https://conceito.de/rima