Conceito de empréstimo hipotecário


Jul 04, 15

Aquilo que se empresta é conhecido sob a designação de empréstimo. A acção de emprestar consiste em entregar algo a alguém com a condição de que esta o devolva num prazo acordado e respeitando certos requisitos. Hipotecário, por sua vez, é algo relacionado com uma hipoteca (o direito que se aplica a um imóvel para que este sirva como garantia de pagamento de uma certa dívida).

Um empréstimo hipotecário, por conseguinte, é aquele que recorrer a uma hipoteca para garantir o cumprimento da obrigação. Trata-se de um empréstimo bancário em que a pessoa que pede dinheiro (o prestatário) põe um bem imóvel como garantia: se não cumprir com a sua obrigação de pagamento, deste modo, o banco pode executar a hipoteca e ficar com a vivenda.

O empréstimo hipotecário permite aceder a uma quantidade importante de dinheiro, uma vez que os valores dos imóveis são elevados. Isto significa que se uma pessoa hipotecar uma casa de que seja proprietário, que esteja avaliada em 50.000 dólares, pode receber essa quantia como empréstimo. Se devolver o dinheiro com os juros correspondentes no prazo acordado, a sua vivenda deixará de estar hipotecada e o sujeito poderá voltar a dispor da mesma sem qualquer entrave.

Caso o bando decida executar a garantia por falta de pagamento, o habitual é que se convoque um leilão para proceder à venda da propriedade posta em garantia. O dinheiro conseguido com o leilão ficará em poder do banco para desta forma cobrir a dívida que a pessoa não pagou.

Para além do risco que acarreta o empréstimo hipotecário, dado que se põe em jogo uma propriedade imobiliária, é importante ressalvar a sua complexidade a nível técnico, tendo em conta que conjuga certos aspectos legais e financeiros que nem toda a gente tem as ferramentas para compreender. Por essa razão é vital planificar destemidamente cada passagem antes de se embarcar a fazer semelhante pedido.

Uma vez que o interessado tenha identificado as condições que espera encontrar no empréstimo hipotecário segundo as suas necessidades pessoais, o mais recomendável é efectuar uma comparação das entidades financeiras disponibilizes. Como se trata de um montante considerável, inclusive as diferenças de percentagem mais pequenas podem dar lugar a uma poupança importante. Entre os pontos destacados a ter em conta na hora de escolher uma entidade, destacam-se o prazo de amortização, o tipo de juros, as comissões e qualquer outro gasto associado à operação.

Depois de solicitar um empréstimo hipotecário, a entidade financeira precisa de levar a cabo o estudo de viabilidade da operação, para o qual solicita ao cliente (quem recebe o nome de prestatario) uma série de documentos determinados.

A taxação da propriedade imobiliária que será usada como garantia é um dos pontos fundamentais do empréstimo hipotecário, já que a partir do valor que se desprende desta análise a entidade poderá determinar o montante máximo que está disposta a oferecer ao cliente. Cabe aos profissionais das Sociedades de Taxação Autorizadas definir o valor da vivenda, e para isso devem ter em conta factores tais como: a sua antiguidade, a sua localização, as suas características (dimensões, qualidades, orientação, quantidade de pisos, comodidades, estado de conservação, etecetera), a sua situação legal de ocupação e sua identificação de registo.

Após a hipoteca ter sido formalmente, a entidade financeira deve entregar ao prestatário um documento denominado oferta vinculante, no qual se encontram todos os detalhes que digam respeito à escritura do empréstimo hipotecário, como ser as cláusulas que tenham sido negociadas entre ambas as partes e aquelas que não. A hipoteca acarreta o pagamento de um imposto, o qual costuma ter um prazo máximo de pagamento de 30 dias úteis a contar da assinatura.