Conceito de partilhar


Jan 14, 13

O verbo “partilhar” refere-se à acção de distribuir, repartir ou dividir algo em várias partes. Desta forma, é possível desfruir em comum de um determinado recurso ou espaço.

Por exemplo: “Vou partilhar o meu gelado contigo”, “Estou triste porque a Celeste não quis partilhar os seus brinquedos comigo”, “A praça é de todos os cidadãos: ninguém pode negar-se a partilhar o espaço”.

A noção de partilhar implica uma concessão gratuita de uso, uma oferta ou uma doação. Em geral, para partilhar algo deve-se, em primeiro lugar, ter essa coisa: uma criança não pode partilhar caramelos se não tiver nenhum em seu poder. Se tiver cinco caramelos, pode comer dois e partilhar os três restantes, o que será visto como uma prova de generosidade ou companheirismo.

A tendência em partilhar é considerada como um valor positivo. Quem partilha aquilo que tem com o próximo é generoso e bondoso. Caso contrario, corre o risco de ser considerado avarento ou egoísta. Tende-se a pensar que aqueles que mais recursos têm, mais devem partilhar, já que não lhes custa muito voltar a obter ou a recuperar aquilo que partilham.

Em determinados contextos, partilhar é uma necessidade social que vai muito além dos protagonistas da acção. Várias organizações incentivam os proprietários de veículos a partilha-los (dando boleia/carona) para reduzir a presença de carros na estrada e, por conseguinte, minimizar as emissões de gases poluidores. Do ponto de vista ambiental, é preferível que três pessoas viajem no mesmo automóvel em vez de cada uma delas se deslocar no seu próprio veículo.