Conceito de politeísmo


Mai 25, 15

Politeísmo é um conceito que, de acordo com a sua raiz etimológica que deriva do grego, pode-se entender como “muitos deuses”. Trata-se, por conseguinte, da doutrina que seguem aqueles que crêem em mais de um deus.

O politeísmo, deste modo, é oposto ao monoteísmo (a doutrina baseada na existência de um único deus). O catolicismo, o judaísmo e o islamismo são religiões monoteístas; porém, o hinduísmo é politeísta.

Embora haja diferentes grupos, pode-se dizer que os hindus adoram Shivá, Visnú, Kali, Krisná e outros deuses. Deste modo, é fácil concluir que se trata de uma religião orientada para o politeísmo. Se compararmos este sistema de crenças com o catolicismo, é fácil reparar nas diferenças, uma vez que os católicos crêem num único deus (o Deus Todo-Poderoso).

Outrora, os povos romanos, gregos, egípcios, celtas e americanos eram politeístas. Por norma, estas culturas tinham um panteão de deuses nos quais acreditavam se comunicavam através de certas pessoas que dispunham dessa capacidade de intermediação, como diferentes classes de bruxos.

Entre o politeísmo e o monoteísmo está o henoteísmo. No henoteísmo, acredita-se em vários deuses mesmo que um tenha preponderância sobre os restantes e, por conseguinte, é ele que recebe a adoração. Os antropólogos defendem que muitas sociedades antigas passaram do politeísmo para o henoteísmo e, a partir deste, finalmente chegaram ao monoteísmo.

Actualmente, dá-se o nome de neopaganismo a certas doutrinas que são politeístas e que combinam diferentes elementos de religiões anteriores ao cristianismo.