Conceito.de

Conceito de retórica

O termo retórica deriva do latim rhetorĭca embora a sua origem mais remota nos remeta para a língua grega. Trata-se da capacidade de facultar à linguagem, seja falada ou escrita, a eficácia suficiente para agradar, comover ou persuadir.

Pode-se dizer que a retórica é a arte de bem dizer ou a técnica de se exprimir de forma adequada. É composta por um sistema de regras e recursos que actuam em diversos níveis da construção discursiva. Estes elementos estão interrelacionados entre eles e repercutem-se em diversos âmbitos.

Os entendidos em retórica estudam os procedimentos da linguagem destinados à estética da mesma ou à persuasão. Isto significa que, do ponto de vista da retórica, o discurso pretende algo mais que o simples facto de comunicar.

Para os antigos Gregos, a composição do discurso constava de duas grandes fases: a inventio (o orador analisa os conteúdos de um repertório pré-fixado -que pode estar na sua memória ou pertencer à sociedade em geral- e estabelece-os como conteúdos do seu discurso) e a dispositio (a organização dos conteúdos encontrados pela inventio).

A estruturação do discurso, por sua vez, desenvolve-se em quatro partes: o exordium (a parte inicial, ou o prólogo, que procura chamar a atenção do ouvinte e apresentar-lhe a estruturação dos conteúdos), a narratio (a exposição do assunto e da tese), a argumentatio (apresentação das razões que sustentam a tese) e a peroratio (resumo do que é dito).

Na linguagem do dia-a-dia, a noção de retórica pode ter um sentido depreciativo para mencionar as razões que não vêm ao caso ou às divagações. Por exemplo: “Deixa-te lá de retórica e explica-me o que fizeste à papelada”.