Conceito.de

Conceito de Idade Média

Uma idade é uma periodização que permite dividir a história em várias etapas. A Idade Média é uma idade histórica que sucede a Idade Antiga e precede a Idade Contemporânea.

A Idade Média começa com a queda do Império Romano do Ocidente (no ano de 476) e que chega, dependendo do historiador, até à descoberta da América (1492) ou à queda do Império Bizantino e à invenção da imprensa (1453).

quem chame Antiguidade Tardia ao período compreendido entre os séculos III e VIII, já que consideram que se trata de uma etapa de transição entre ambas as idades.

Diz-se que o nome “Idade Média” foi inventado pelos renascentistas e uma das primeiras menções a esse nome é remetido ao bispo italiano Giovanni Andrea, sendo que nessa época o termo utilizado eratempo médio”, segundo descrito pelo historiador Hilário Franco Júnior. E foi no século XVI, época do renascimento, que a ideia tornou-se popular.

Os humanistas do século XV e XVI denominavam a Idade Média como a Idade Média de Idade das Trevas, pois eles afirmavam que, com isso, a Europa sofreu um retrocesso intelectual, filosófico, artístico e institucional, no que diz respeito a produção da Antiguidade Clássica.

A Idade Média, por outro lado, pode dividir-se em Alta Idade Média (o período que abarca os primeiros séculos) e em Baixa Idade Média (os últimos séculos da Idade Média).

A Alta Idade Média foi um período conhecido por sua instabilidade e também insegurança generalizada, algo que seguiu do século V até o século IX.

Na Baixa Idade Média destacam-se: as cruzadas, a expansão das sociedades cristãs, a crise do feudalismo, também o ressurgimento urbano e o renascimento comercial na Europa, a formação das monarquias nacionais na Europa e a cultura medieval.

Foi Durante a Baixa Idade Média que o Império Bizantino reduziu-se à cidade de Constantinopla, dada a expansão dos turcos-otomanos (os otomanos são provenientes da tribo de Ghuzz) no século XIV, tomando os Bálcãs e também a Ásia Menor.

Das várias mudanças que tiveram lugar durante a Idade Média, pode-se destacar o aparecimento do modo de produção feudal (em substituição da escravatura), o desaparecimento da noção de cidadania romana e o auge das culturas teocêntricas (como o Islamismo e o Cristianismo) em vez da cultura clássica.

Mas desse período destacam-se também o processo de ruralização vivido pela Europa entre os séculos V e X; o feudalismo sendo estruturado no âmbito econômico, político e social, o fortalecimento da Igreja Católica, etc.

E a crise que culminou no fim da Idade Média foi decorrente do renascimento urbano e comercial, os quais abriram caminho para tal acontecimento.

As cidades medievais caracterizaram-se pela construção de grandes muralhas, de castelos, de fortalezas e de pontes defensivas, o que representa um reflexo dos conflitos bélicos da época.

A partir da transição do feudalismo para o capitalismo, a Idade Média começou uma etapa de decadência que derivou no início da Idade Moderna, a qual se estende até à Revolução Francesa e deu logo lugar à Idade Contemporânea.