Conceito.de

Conceito de quimo

Escutar o artigo

Quimo é uma palavra que deriva do latim chymus, apesar de o seu antecedente etimológico mais afastado resida num vocábulo da língua grega que se pode traduzir como “suco”. Trata-se da pasta resultante da mistura do bolo alimentar com diversas substâncias presentes no estômago.

quimo
É chamado de quimo a massa resultante da digestão parcial

A fim de que haja um adequado aproveitamento dos nutrientes pelo organismo, os alimentos precisam ser quebrados em pequenas partículas. E nesse processo é preciso que os órgãos do sistema digestório façam uma atuação conjunta a fim de tornar os alimentos em partes que possam ser absorvidas mais facilmente pelo organismo.

Há que se saber que os carnívoros possuem um intestino delgado mais curto e a sua parede intestinal é mais larga e repleta de desdobramentos. Mas mesmo com esse intestino delgado curto, as pregas em maior quantidade contribuem para que a superfície de contato com as moléculas que serão quebradas seja maior, além de ser maior também a qualidade da absorção dessas depois que são quebradas em partículas menores.

E nisso se tem o processo de digestão onde há uma massa resultante de algumas etapas desse: o quimo, que é algo que está presente tanto na digestão humana quanto na digestão de animais, como é o caso dos mamíferos.

Processo para a formação do quimo

conceito de quimo
O processo de digestão, que forma o quimo, acontece após humanos ou certos animais ingerirem alimentos

Quando uma pessoa ingere um alimento, o primeiro passo consiste em introduzir a comida em questão na boca. Com os dentes, o sujeito tritura o alimento num processo conhecido como mastigar, que permite a deglutição. Além dos dentes, também atua a saliva.

Assim, o alimento transforma-se naquilo que se chama bolo alimentar, que acaba por descer pelo esófago até chegar ao estômago. No estômago, quando o bolo alimentar se mistura com os sucos gástricos e diversas enzimas, se transforma na substancia homogénea que recebe o nome de quimo. O quimo, posteriormente, passa para o intestino.

Os sucos gástricos são compostos por bicarbonato, ácido clorídrico, cloreto de sódio, água e outras substâncias. A ação destas substâncias e os movimentos que realizam as paredes do estômago convertem o bolo alimentar no quimo.

Do estômago, o quimo passa para os intestinos. No intestino delgado, o organismo absorve os nutrientes da pasta.

Finalmente, os resíduos provenientes de todos os processos aos quais é submetido o alimento são evacuados através do ano.

Para além de tudo o que foi exposto acima, não podemos falar por alto de outra série importante de dados relativos ao dito quimo, entre os quais se encontram os seguintes:

-Em função da quantidade de comida que a pessoa tenha ingerido e também do tipo de alimentos que tiver tomado, o estômago poderá digerir o quimo em maior ou menor tempo. Deste modo, por exemplo, se tiver sido algo mais leve poderá fazê-lo no espaço de quarenta minutos aproximadamente, ao passo que se consistiu algo mais contundente esse processo pode chegar a durar horas.

-Da mesma forma, há que ter em conta que o quimo se identifica por ser bastante ácido.

-Devido a diversas secreções biliares e pancreáticas o quimo tem de o fazer face a uma série de transformações que acabam por se converter em quilo.

Quimo e quilo

É importante diferenciar entre o quimo e o quilo. Este último é a substância que formam os lípidios emulsionados. Após o estômago, o quimo vai até o intestino delgado, chegando ao duodeno. E quando ele está no intestino delgado, variados compostos realizam transformações no mesmo, tais como: suco pancreático, bile e suco entérico. Tudo isso para compor o quilo.

O suco pancreático é algo que proporciona a continuidade para a digestão do amido e proteínas. Ele ainda realiza a quebra de gorduras (através da chamada “lipase pancreática”), de ácidos nucleicos (através das chamadas “nucleases”), de fosfolipídeos (por meio da fosfolipase) e deésteres de colesterol (através da enzima chamada de “colesterol-esterase”). Além disso, o pâncreas também atua na produção do bicarbonato de sódio, o qual contribui para a redução da acidez do quimo, pois o mesmo vem rico em ácido do estômago.

Mas além de sofrer os efeitos do suco pancreático, o quimo inda passa pelas ações da bile, que se trata de um líquido com viscosidade e de coloração geralmente esverdeada. O que a bile faz é a emulsificação da gordura e, com isso, se amplia a superfície de contato dela com a lipase pancreática. E depois disso é a vez do suco entérico atuar, aqui fazendo a digestão final das proteínas e dos carboidratos. Depois que todas essas substâncias que se encontram no intestino delgado agem, o quimo se transforma em quilo.

O estudo sobre o quimo e também sobre o quilo se dá na fisiologia, que é um ramo da biologia responsável por fazer o estudo das diferentes funções das moléculas.

Como mencionámos anteriormente a digestão do quimo por parte do estômago pode durar mais ou menos consoante a comida que se tenha tomado. Neste caso, podemos estabelecer que há uma série de alimentos que são pesados e que propiciam que a digestão não se complete enquanto ainda não tiverem passado X horas. Estamo-nos a referir, por exemplo, às bebidas que são especialmente ricas em vitamina C, aos produtos com muitas gorduras e que aos fritos, a alimentos muito condimentados, ao abuso do chocolate…

Tudo isso sem passar outros alimentos que tendo em conta os seus componentes também desaceleram e obstaculizam notavelmente a digestão. Esse seria o caso dos alhos, a cebola, o brócolis, o repolho, determinados legumes…

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (31 de Janeiro de 2016). Conceito de quimo. Conceito.de. https://conceito.de/quimo