Conceito.de

Conceito de aliteração

Escutar o artigo

Aliteração é uma figura de linguagem presente na língua portuguesa. Trata-se da repetição consecutiva de sons que são consonantais idênticos ou com semelhança, especialmente em versos e em frases. Aliteração é um termo que provém do latim alliteratio, que veio de littera e que significa “letra”.

aliteração
Aliteração é uma figura de linguagem da língua portuguesa

É comum o uso desse recurso em ditos populares ou em trava-línguas. No caso dos trava-línguas, o objetivo é que a repetição de fonemas numa frase torne sua leitura difícil.

Um exemplo com de onde ocorre a aliteração é nos seguintes trava-línguas mundialmente conhecidos:

“O rato roeu a roupa do rei de Roma”

 “Três tigres tristes para três pratos de trigo. Três pratos de trigo para três tigres tristes”;

“Larga a tia, largatixa! Lagartixa, larga a tia!”.

Entendimento de figuras de linguagem

Figuras de linguagem caracterizam-se como os recursos que são utilizados tanto na fala quanto na escrita a fim de tornar uma mensagem mais expressiva. Podemos ver esses como sendo “efeitos especiais” utilizados na escrita ou na fala a fim de enriquecer o texto e melhorar a forma como essa mensagem é comunicada.

Entender e identificar as figuras de linguagem é essencial para que se consiga compreender melhor os textos distintos e as conversas. Além do que, essa compreensão e identificação ajuda o indivíduo a utilizar de maneira mais eficaz a língua no âmbito social, conseguindo distinguir o simbolismo determinadas conversas e obras literárias, entre outros elementos.

Outros exemplos de figuras de linguagem, além da aliteração, são a ironia, a antítese, o eufemismo, a metáfora, a onomatopeia, o paradoxo, o pleonasmo, a anáfora, etc.

Característica da aliteração

A aliteração caracteriza-se por ser a repetição de composição harmoniosa e que possui ritmo. Devido a isso é um recurso explorado por muitos poetas do simbolismo e também músicos ou letristas. No Brasil, o poeta João da Cruz e Sousa é reconhecido como um precursores do uso desse recurso no país.

E como se trata de um recurso de objetivo estilístico, então a aliteração tem o propósito de criar um ritmo constante num poema, música ou texto, ajudando a intensificar a mensagem que se deseja passar.

Mas além de ser verificada no começo e no final das frases, há casos também onde ela acontece no meio de construções linguísticas. E além dos trava-línguas e ditados populares, o uso desse recursos costuma acontecer ainda em versos folclóricos, entre outros tipos de textos onde se pode valer da aliteração para propiciar o sentido que se deseja.

Aliteração e Assonância

conceito de aliteração
Repetição de uma mesma sonoridade numa série de palavras

É comum que muitos confundam aliteração com assonância, mas essa última trata-se da repetição da vogal tônica numa dada frase.

A principal diferença que existe entre aliteração e assonância é que, enquanto aliteração diz respeito a repetição das consoantes, a assonância trata-se da repetição de sons vocálicos (vogais) que são idênticos.

Para um melhor entendimento, vejamos a seguir um exemplo com o uso da aliteração e logo após um exemplo com o uso da assonância:

– “Farofa feita com muita farinha fofa faz uma fofoca feia” (nesse exemplo o foco foi na consoante “F”);

– “Fui ferreiro, fazia ferragem para a fazenda” (também com a letra “F”);

– “Tiago trouxe tatas telhas trincadas” (com foco na letra “T”).

E agora exemplos com assonância:

“Minha foz do Iguaçu/Pólo sul, meu azul/Luz do sentimento nu (letra de música de Djavan). Nesse exemplo o foco foi na repetição da vogal “u”.

Outro exemplo de assonância é no seguinte trava-língua:

“A vaca malhada foi molhada por outra vaca molhada e malhada”.

Aliteração em trava-línguas

Vejamos agora alguns exemplos de trava-línguas que usam esse recurso da aliteração:

“Padre Pedro procurou a primeira batina preta”.

Esse acima é um exemplo onde as consoantes “p”, “r” e “d” são o foco para que haja um desafio para o falante na pronunciação. Outros exemplo a seguir ilustrarão ainda mais essa explicação:

 “Três pratos de trigo para três tigres tristes.”

“O sabiá não sabia que o sábio sabia que o sabiá não sabia assobiar”

Nesse exemplos as consoantes “t”, “p” e “r” são o foco na primeira frase, já o “s” é o que se destaca no segundo exemplo, do mesmo modo que o exemplo a seguir:

“A vida é uma sucessiva sucessão de sucessões que se sucedem sucessivamente, sem suceder o sucesso.”

E a seguir outros com foco na letra “b”:

“Bagre branco, branco bagre”;

“A babá boba bebeu o leite do bebê”;

“A mulher barbada tem barba boba babada e um barbado bobo todo babado”;

Outros exemplos de aliteração

É bem comum o uso da aliteração na composição de canções, sejam com a aliteração acontecendo na primeira letra de cada estrofe ou na última. E esse recurso ajuda a conferir mais musicalidade para a canção, além de ajudar ainda no processo de rima.

Citação

SOUSA, Priscila. (16 de Março de 2022). Conceito de aliteração. Conceito.de. https://conceito.de/aliteracao