Conceito de performance


Abr 19, 13

O termo performance é um estrangeirismo, mais exactamente um anglicismo. De qualquer forma, esta palavra é bastante habitual em português para fazer referência a determinadas exibições, actuações ou representações cénicas.

Uma performance, por conseguinte, procura surpreender o público, seja pela sua temática, seja pela sua estética. Este tipo de acções está relacionado com a improvisação, a arte conceitual e os happenings (manifestações artísticas que contemplam a participação do público).

Exemplos: “Uma fantástica performance da artista plástica encantou os visitantes do museu”, “O pintor prometeu realizar uma performance ao vivo, onde criará obras com materiais orgânicos”, “A performance fracassada do músico valeu-lhe numerosas críticas”.

Uma das características mais importantes de uma performance é o facto de ter lugar num lugar determinado durante um tempo concreto. A performance é levada a cabo ao vivo e existe enquanto o artista faz a sua actuação, o que já não acontece com as exposições tradicionais.

Às vezes, o mais importante da performance não é o conteúdo em si, mas o lugar onde decorre. Há artistas que fazem performances em praça pública ou que improvisam manifestações artísticas em lugares inéditos para a arte, como um supermercado ou um local de videojogos.

Há quem considere que os flashmobs são performances embora não tenham intenção artística. Trata-se de grupos que põem em marcha uma acção organizada num local público, realizando algo invulgar (como uma guerra de almofadas ou distribuindo abraços grátis). Às vezes, os flashmobs têm uma finalidade política.

A noção de performance também é sinónima de rendimento ou de desempenho: “O atleta teve uma grande performance na última competição”. Esse tipo de rendimento também pode ser económico, no âmbito das empresas, por exemplo.