Conceito.de

Conceito de algas

Escutar o artigo

Algas são organismos fotossintetizantes encontrados em ambientes aquáticos ou úmidos. Elas já foram consideradas seres vivos pertencentes ao Reino Plantae, mas atualmente são classificadas como integrantes do Reino Protoctista.

alga
As algas podem ser encontradas especialmente em locais úmidos

O Reino Protoctista trata-se de um grupo polifilético, onde os representantes não possuem ancestralidade em comum, sendo ali onde encontram-se organismos eucarióticos que não possuem, até então, uma classificação definida.

Multiplicação/reprodução das algas

As algas podem ser uni ou multicelulares (flamentosas), onde na maioria das vezes elas contam com parede celular com celulose. Elas ainda contam com cloroplastos, o que lhes permite realizar a fotossíntese e também fornece cores características para as mesmas, segundo os pigmentos existentes em seu interior, além da clorofila a (que é o tipo mais abundante).

Nas algas, a reprodução acontece por divisão binária, no caso das espécies que são unicelulares, ou também por fragmentação ou por zoosporia, que é a formação de células flageladas (chamadas de zoósporos) que formam uma nova alga quando se fixam ao substrato.

Contudo, a maioria das algas faz sua reprodução de forma sexuada, em especial aquelas que são unicelulares haploides, atuando como se fossem gametas. Quando atingem a maturação, então essas células fundem-se, compondo um zigoto diploide que se irá dividir através da meiose, dando origem para quatro outras células jovens haploides, algo que reiniciará o ciclo. É comum que aconteçam alternâncias de gerações em certas espécies de algas.

Algas e sua influência na economia

conceito de alga
Algas podem gerar prejuízos ou beneficiar a economia

Existem algas que geram impactos na economia, tal como é o caso dos dinoflagelados, que podem gerar prejuízos expressivos quando criam a famosa maré vermelha (também conhecida como floração de algas nocivas).

No entanto, há outras que são benéficas, como as algas usadas no tratamento de esgotos. Existem também algas que são usadas no preparo de alimentos, tais como o sushi ou, ainda, aquelas usadas em pesquisas, como é o caso do ágar.

Algas: classificação em filos

O estudo das algas recebe o nome de Ficologia. E as algas são classificadas especialmente segundo o tipo de pigmento fotossintetizante e também de acordo com a presença de substâncias de reservas que são armazenadas no interior das suas células.

As algas podem classificar-se em sete filos, sendo que as que são unicelulares pertencem aos Filos Dinophyta, Chrysophyta, Bacillariophyta e Euglenophyta. Enquanto os filos que abrigam representantes multicelulares são: Rhodophyta, Charophyta, Phaeophyta e Chlorophyta.

Filo Chlorophyta: incluem aproximadamente 17000 espécies de algas que possuem uma coloração verde, sendo essas encontradas em locais de salgada, água doce e também em ambiente terrestre. Essas possuem tanto espécies unicelulares como também pluricelulares. Mesmo que a maioria das algas classificadas nesse Filo sejam microscópicas, existem algumas maiores como é o caso da Codium Magnum, que chega a 8 metros de comprimento. Muitos creem que as plantas evoluíram partindo desse grupo de algas;

– Filo Rhodophyta: nesse grupo estão aproximadamente 6000 espécies de algas quem têm uma coloração avermelhada devido a ficobilina. São encontradas algas desse tipo em locais de água doce, ambientes marinhos e também em locais úmidos;

– Filo Phaeophyta: aqui estão aproximadamente 1500 espécies de algas que possuem uma coloração parda. Nesse grupo estão as algas maiores e mais complexas e se classificam aqui apenas as espécies marinhas. As algas desse grupo lembram o aspecto de folhas e caules, além dos seus tecidos condutores serem semelhantes aos das plantas;

– Filo Chrysophyta: nesse grupo estão por volta de 1000 espécies unicelulares (mas que podem constituir colônias) de coloração dourada, mas há ainda espécies incolores. A cor dourada se dá por conta do pigmento fucoxantina. Essas são encontradas em ambientes aquáticos.

Filo Dinophyta: aqui estão por volta de 4000 espécies unicelulares (contendo dois flagelos) que são encontradas em ambientes marinhos ou também em ambientes de água doce. Um dos flagelos compõe um tipo de cinto, já o outro é perpendicular a esse primeiro e essa organização deles faz com que o dinoflagelado locomova-se rodopiando. Há espécies que contam com placa de celulose constituindo algo como uma armadura. Alguns dinoflagelados podem ocasionar a maré vermelha;

Filo Bacillariophyta: já nesse grupo estão aproximadamente 100000 espécies de algas, quais são conhecidas também como diatomáceas. São espécies unicelulares ou coloniais encontradas em ambientes aquáticos. As algas desse grupo contam com paredes de sílica que são divididas em duas partes, a essa espécie de carapaça é dada o nome de frústula;

Filo Euglenophyta: já nesse grupo estão por volta de 900 espécies de algas que são protistas flagelados unicelulares (tendo somente um gênero colonial), as quais vivem em locais de água doce. Essas espécies possuem um flagelo maior e outro menor que não chega a surgir da célula. Há algumas espécies desse grupo que se alimentam de partículas orgânicas que são retiradas do meio, posto a isso eles são classificados como heterotróficos. Esses filos têm paramido como sua substância de reserva.

Citação

SOUSA, Priscila. (16 de Março de 2022). Conceito de algas. Conceito.de. https://conceito.de/algas