Conceito.de
Conceito de

RCP

RCP, ou ressuscitação cardiopulmonar, é um procedimento de emergência para situações onde alguém sofreu uma parada cardíaca ou respiratória. Essa técnica é utilizada com o intuito de manter a circulação sanguínea e a oxigenação do corpo até a chegada de ajuda médica qualificada. Ela faz parte dos procedimentos de primeiros socorros

RCP
RCP é uma técnica essencial para a sobrevivência

A RCP se trata de uma técnica vital para a sobrevivência do indivíduo que sofreu uma parada cardíaca ou respiratória. Contudo é importante lembrar que essa técnica não é adequada em todos os casos. Então, em certos casos, não seria possível ou adequado fazer RCP, mas, em vez disso, outras intervenções seriam mais apropriadas.

E essa reanimação cardiopulmonar, que presta um suporte básico de vida, é ainda conhecida por alguns como massagem cardíaca.

A RCP pode ser útil nos casos de afogamento, parada cardíaca súbita, afogamento, overdose, entre outras condições. Ela pode ser necessária ainda nos casos de reações alérgicas e convulsões.

Se você tem apenas alguns segundos, leia estes pontos chave:
  • RCP é crucial para restaurar circulação sanguínea e oxigenação do corpo, aumentando as chances de sobrevivência.
  • Apesar de sua importância, a RCP pode apresentar alguns riscos como fraturas e pneumotórax.
  • Diretrizes específicas devem ser seguidas ao realizar a RCP, garantindo eficácia e redução dos riscos.
  • A técnica envolve compressões torácicas e ventilações, sendo feita até a chegada de ajuda médica qualificada.

Benefícios da RCP

O objetivo principal da RCP é promover a restauração da circulação sanguínea e da oxigenação do corpo. Quando alguém sofre uma parada cardíaca ou parada respiratória, ocorre do coração parar de bombear sangue para o corpo, o que levaria à falta de oxigênio e a danos nos órgãos vitais. Desse modo, essa é uma técnica que ajuda a aumentar as chances de sobrevivência do indivíduo.

A ressuscitação cardiopulmonar ainda é algo que ajuda a evitar lesões cerebrais. Se há privação do cérebro a oxigênio por um longo período de tempo, então poderia acontecer danos irreversíveis ali. A RCP então ajuda a manter a oxigenação do cérebro e em outros órgãos vitais até a chegada da ajuda médica.

Riscos da ressuscitação cardiopulmonar

Mesmo que a RCP seja vital nas situações de emergência, essa técnica também pode possuir alguns riscos. Dentre os riscos mais comuns há fraturas das costelas, pneumotórax (colapso do pulmão) e, ainda, lesão cerebral pela falta de oxigênio.

Além do mais, a RCP poderia não ser eficaz em todos os casos. Caso uma pessoa já esteja clinicamente morta ou possua uma condição médica subjacente, que faz a RCP ser ineficaz, então seria inútil tentar a técnica.

As diretrizes para realização da RCP

conceito de RCP
As diretrizes na realização da RCP ajudam a garantir a eficácia do procedimento e a reduzir os riscos

Há algumas diretrizes específicas que precisam ser seguidas ao realizar a RCP. Tais diretrizes ajudam a assegurar a eficácia da técnica e reduzir os riscos associados. As diretrizes para a RCP estão listadas seguir.

Verificar a segurança do ambiente

Antes de iniciar a RCP, veja se o ambiente é seguro tanto para quem precisa da RCP quanto para quem irá realizar. Se existir algum perigo iminente, como no caso de fogo ou eletricidade, por exemplo, é essencial remover a pessoa para um local seguro antes de iniciar a ressuscitação cardiopulmonar.

Verificar a consciência da pessoa

Antes de começar a realizar a RCP, é necessário ver se a pessoa está consciente ou não responsiva. Isso será de grande importância para determinar se a RCP seria necessária ou não. É comum que uma das ações nesse caso seja chamar a pessoa pelo nome ou sacudi-la levemente. Se ao realizar isso a pessoa não apresentar nenhuma resposta, então se deve assumir que ela necessita da RCP.

Chamar ajuda médica

Quando for constatado que a ressuscitação cardiopulmonar é necessária, é importante também solicitar ajuda médica de imediato. Em diversos casos, a RCP sozinha não seria suficiente para salvar a vida de uma pessoa, sendo necessário que haja um atendimento médico profissional.

Iniciar a RCP

Quando se identifica se há segurança no ambiente, se verifica a consciência do indivíduo e a ajuda médica é acionada (lembrando que tudo isso deve ser feito com agilidade), então se pode iniciar a realização da RCP.

A técnica compreende compressões torácicas e ventilações. Tais compressões torácicas promovem a circulação sanguínea, já as ventilações são essenciais para garantir a oxigenação do corpo.

Compressões torácicas

Para realizar as compressões torácicas, se deve pôr a pessoa em uma superfície firme e plana. Depois disso, quem fará a ressuscitação cardiopulmonar deve colocar as mãos na área central do centro do tórax da pessoa e pressionar para baixo com firmeza, estando com os braços esticado. É importante que se mantenha uma taxa de compressão de 100 a 120 compressões por minuto.

Ventilações

As ventilações são feitas soprando ar para os pulmões da pessoa que recebe a RCP. Para fazer isso, se deve inclinar a cabeça dessa pessoa para trás e abrir as vias aéreas. O passo seguinte é cobrir a boca e o nariz da pessoa a própria boca e soprar o ar para dentro. A realização da ventilação deve ocorrer quando há um prolongamento das manobras de RCP.

Continuar a RCP até a ajuda médica chegar

A RCP deve ser feita de forma contínua até que a ajuda médica chegue e possa assumir o controle. É crucial que a ressuscitação cardiopulmonar siga sem interrupções até a chegada da ajuda médica qualificada.

Desde o ano de 1990 que tem crescido o número de casos de parada cardiorrespiratória extra-hospitalar com um desfecho positivo. E isso se deve as melhorias constantes das diretrizes de RCP. E as diretrizes para essa técnica sã atualizadas de forma frequente, o que ajuda a garantir um procedimento bem-sucedido.

Citação

SOUSA, Priscila. (26 de Abril de 2023). RCP - O que é, benefícios, conceito e definição. Conceito.de. https://conceito.de/rcp