Conceito de timocracia


Set 27, 16

Uma timocracia é um regime de governo dirigido pelas pessoas que dispõem de uma determinada quantidade de dinheiro. Para aceder ao poder, por conseguinte, os cidadãos devem dispor de um determinado capital: caso contrário, não têm a possibilidade de participar do governo.

O conceito desenvolveu-se na Antiga Grécia. O estadista e legislador Solón (638 antes de Cristo – 558 antes de Cristo) propôs, numa Constituição idealizada para Atenas, uma oligarquia onde cada membro podia aceder a um determinado role político no que toca ao número de fanegas (uma unidade de medida) que podia produzir anualmente ou a quantidade de juntas de bois que tinha.

Neste sentido, os cidadãos que não dispunham de terras nem bois não estavam habilitados a ocupar os cargos públicos electivos. Deste modo, a timocracia de Sólon só permitia o exercício do poder político às pessoas com uma base mínima de riqueza, deixando fora os restantes habitantes.

Hoje em dia, a maioria dos Estados encontram-se organizados como democracias. Este tipo de governo supõe que o povo governe através dos seus representantes e que todos os cidadãos possam apresentar a sua candidatura para exercer cargos públicos. Aqueles que acedem ao poder, deste modo, são eleitos através do voto popular.

Alguns pensadores, no entanto, defendem que muitas democracias são, na realidade, timocracias. Por diversas circunstâncias, como o tempo que é necessário para se dedicar à actividades política ou o custo das campanhas eleitorais, apenas os integrantes das classes altas têm a possibilidade de realizar carreiras políticas. Posto isto, acabam por chegar ao poder aqueles que têm mais dinheiro.