Conceito de junk food


Abr 05, 12

Apesar de junk food ser uma expressão inglesa, foi adoptada pela comunidade lusófona. Trata-se da comida “lixo” (ou “comida plástica”), isto é, aquela que deve ser evitada por ser simultaneamente a menos saudável e mais calórica. A comida é o conjunto de substâncias alimentares que se ingerem para sobreviver. Através da série de actos voluntários e conscientes conhecidos como alimentação, a comida é consumida pelas pessoas, dando lugar ao processo biológico chamado nutrição (através do qual os organismos assimilam os alimentos).

A alimentação contempla a escolha, a preparação e a ingestão dos alimentos, pelo que constitui um fenómeno associado ao meio sociocultural e económico. Neste âmbito, pode-se falar na junk food, isto é, todos os alimentos com altos níveis de gorduras, sal ou açúcares.

Devido aos seus componentes, a junk food estimula o apetite e a sede, o que representa um grande negócio para as empresas que oferecem este tipo de comida. Contudo, pode ser prejudicial caso seja consumida em grande quantidade, ocasionando problemas de saúde como a obesidade.

A comida “plástica” também está associada à comida rápida (fácil de elaborar) e ao lazer (o seu consumo é sinónimo de prestígio social entre os adolescentes). Outro ponto a favor da expansão desta comida é o facto de ser barata.

A junk food mais popular é o hambúrguer (carne picada com alto teor de gordura), que costuma ser acompanhada por outros alimentos pouco saudáveis como as batatas fritas e refrigerantes vendidos em copos de grande tamanho. O McDonald’s e o Burger King são duas das cadeias mais famosas do mundo especializadas em comida rápida (ou fast food), oferecendo uma grande variedade de menus em que o hambúrguer é o elemento principal.