Conceito de óvulo


Fev 14, 15

A origem etimológica de óvulo remete-nos para o termo ovŭlum, o diminutivo de ovum (que se pode traduzir como “ovo”). Um óvulo é uma célula sexual feminina que se gera nos ovários.

Trata-se de um gâmeta de tipo feminino que tem a forma de uma esfera e que é susceptível de fecundação por parte do gâmeta masculino, denominado espermatozóide. Quando o óvulo é fecundado, cria-se o zigoto que, a partir do seu desenvolvimento, se transformará num embrião, depois num feto e finalmente numa nova criatura.

Os óvulos são células haplóides que carregam informação genética. Produzem-se através da ovogénese nos ovários, através da reprodução celular que se denomina meiose.

No caso dos seres humanos, as mulheres maduram um óvulo em cada 21 dias desde que chegam à puberdade (têm a menstruação pela primeira vez). Quando se realiza este processo, o óvulo deixa o ovário e chega às trompas de Falópio no âmbito do processo conhecido pelo nome de menstruação, que inclui sangramento por via vaginal. A menstruação é interrompida quando a fecundação se concretiza e a mulher, por conseguinte, engravida.

Dentro do âmbito da botânica, um óvulo é um órgão que faz parte das plantas. Os vegetais também têm ovários: no seu interior, os corpos com forma esférica que se criam recebem o nome de óvulos, que albergam os gâmetas femininos (oosferas) e outras células.

Existem diferentes classes de óvulos nas plantas, como os campilótropos (com forma curva), os ortótropos (rectos) e os anátropos (alargados).