Conceito.de
Conceito de

Raciocínio lógico

Raciocínio lógico se trata de um processo mental que implica a aplicação da lógica.

raciocínio lógico
O raciocínio lógico

Quando uma pessoa raciocina (pensa), está a desenvolver um raciocínio. Raciocinar é a atividade mental que permite obter a estruturação e a organização das ideias para chegar a uma conclusão.

A lógica, por sua vez, é a ciência dedicada à exposição das formas, dos métodos e dos princípios do conhecimento científico. Algo lógico, neste sentido, é aquilo que respeita estas regras e cujas consequências são justificadas, válidas ou naturais.

A partir do raciocínio lógico, pode-se partir de uma ou de várias premissas para chegar a uma conclusão que pode ser determinada como verdadeira, falsa ou possível.

O raciocínio lógico pode ser iniciado a partir de uma observação (isto é, uma experiência) ou de uma hipótese. O processo mental de análise pode desenvolver-se de maneiras diferentes e converter-se num raciocínio indutivo, um raciocínio dedutivo, etc. Consoante o tipo de raciocínio usado, a conclusão terá maior ou menor possibilidade de ser válida.

A conclusão encontra a sua base nas premissas iniciais: o raciocínio lógico é o caminho que vincula ambas as partes. O resultado do raciocínio terá um certo grau de probabilidade no que toca à veracidade, sempre que os raciocínios lógicos sejam válidos.

Suponhamos que uma mulher visita um país que não conhece. A primeira pessoa com quem começa a conversar fala em italiano. O mesmo ocorre com a segunda e a terceira. A partir de um raciocínio lógico, pode-se induzir que todas as pessoas nesse país falam italiano.

Se você tem apenas alguns segundos, leia estes pontos chave:
  • A lógica proposicional é uma forma fundamental de lógica formal que se concentra no estudo das relações lógicas entre proposições quando elas são conectadas por conectivos como “e”, “ou”, “se… então”, etc.
  • A lógica proposicional também estuda as regras que designam os valores de verdade das proposições quando elas são unidas por conectivos lógicos, ou seja, se uma proposição é verdadeira ou falsa.
  • A lógica de predicados é uma extensão da lógica proposicional que permite representar e analisar proposições de maneira mais sofisticada, adicionando variáveis, quantificadores e predicados para expressar relações e propriedades mais complexas.
  • Os termos fundamentais na lógica de predicados incluem quantificadores universais (?) e existenciais (?), que significam, respectivamente, "para todo" e "existe algum". A lógica de predicados é essencial na fundamentação matemática, representação formal de linguagens de programação e em inteligência artificial.

Lógica proposicional

conceito de raciocínio lógico
A lógica é algo fundamental em diversos contextos

A lógica proposicional se traduz numa das formas mais fundamentais da lógica formal. O foco dela é em estudar sobre as relações lógicas que há entre proposições no momento em que são conectadas através de conectivos como “e”, “ou”, “se… então”, etc.

Usando como exemplo o conectivo “e” para ligar as seguintes proposições: Paulo é espanhol e Ricardo é português, no final obteríamos a proposição: Paulo é espanhol e Ricardo é português. Outro exemplo seria: Maria é professora; Fernanda é bailarina, onde unindo com o conectivo se teria: Maria é professora e Fernanda e bailarina.

Num outro exemplo, há como usar o conectivo “ou” e unir as seguintes proposições: o ônibus já passou ou esse transporte ainda virá.

A lógica proposicional ainda estuda as regras que designam os valores de verdade das proposições se elas são unidas por meio de conectivos lógicos. Nesse caso, se as proposições a seguir são verdadeiras: Frank é baixo; Gustavo é alto, então a proposição a seguir será verdadeira: Frank é baixo e Gustavo é baixo. Mas se entre as proposições citadas houve uma falsa, então a proposição final (da união dessas duas) será falsa, por exemplo:

Frank é baixo ou Gustavo é alto?

No exemplo acima, fora usado o conectivo “ou” no lugar de “e” a fim de unir uma proposição verdadeira com uma falsa.

Lógica de predicados

A lógica de predicados se traduz numa extensão da lógica proposicional. Através dela há como representar e analisar de forma mais sofisticada de proposições. Enquanto a lógica proposicional trata apenas de proposições simples, a lógica de predicados ajunta variáveis, quantificadores e, claro, predicados a fim de expressar relações e propriedades que tenha mais complexidade.

Ela traz termos como quantificadores universais (∀) e existenciais (∃), que significam, respectivamente, “para todo” e “existe algum”. Isso torna possível a formulação de sentenças que compreendem generalizações e particularizações, fazendo com que ela se torne mais adequada para relatar a estrutura lógica de argumentos e as inferências na linguagem natural.

Os quantificadores são símbolos usados na álgebra e também no estudo da lógica matemática. Enquanto o quantificador universal é aplicado quando se deseja referir aos elementos totais de um conjunto, o existencial referencia a pelo menos um elemento que integra esse conjunto.

A lógica de predicados é essencial na fundamentação matemática, assim como para a representação formal de linguagens de programação e, ainda, em inteligência artificial. Ela fornece um arcabouço lógico potente para raciocínio a respeito de quantidades e relações complexas.

Citação

Equipe editorial de Conceito.de. (16 de Novembro de 2015). Atualizado em 17 de Novembro de 2023. Raciocínio lógico - O que é, conceito e definição. Conceito.de. https://conceito.de/raciocinio-logico